BRAGA -
30ª edição dos Encontros da Imagem arranca em Setembro sob o tema Genesis com 36 exposições

A edição número 30 dos Encontros da Imagem – Festival Internacional de Fotografia e Artes Visuais, de Braga, decorre de 11 de Setembro a 31 de Outubro sob o tema Genesis, com 36 exposições individuais e colectivas.

As mostras serão distribuídas por 20 espaços, a maior parte dos quais em Braga, “e muitas delas na rua devido à pandemia”. Haverá, também, uma extensão a Guimarães, Barcelos e Porto.

PUBLICIDADE

O director do Festival, Carlos Fontes, adiantou que, entretanto, foram já selecionados14 projectos fotográficos, entre os 259 candidatos de 37 países, ao Prémio Descoberta (Discovery Awards).

Os finalistas “terão direito à produção dos seus trabalhos, à realização de exposições individuais e à publicação de fotografias no catálogo do evento”.

O júri do Discovery Awards 2020 integrou Alexa Becker (responsável de aquisições e editora de fotografia e livros na Kehrer Verlag – Frankfurt, Alemanha), Carlos Fontes (director dos Encontros da Imagem), Carlos Lobo (fotógrafo e professor), Kate Edwards (editora de fotografia na Guardian Weekend Magazine – Londres, Inglaterra) e Pedro Leão Neto (investigador e editor na Scopio Editions).

PLANO B

Carlos Fontes salientou que, face à crise sanitária, a organização aplicou o seu plano B aos Encontros, “para salvaguarda dos contactos de proximidade e distanciamento social”, realizando, por isso, algumas das actividades por vídeoconferência, caso da Leitura Crítica de Portefólios.

Assim, o fim-de-semana de inaugurações, que incluía um circuito pelas exposições, será substituído por uma sessão solene de abertura. Os meios electrónicos servirão, ainda, para as sessões de Projecção Pública de Projectos Fotográficos.

O Festival mantém, contudo, as outras actividades habituais: Concursos, Prémios Internacionais (Descoberta, Emergentes e Livro de Autor); Leitura de Portfólios (videoconferência); Conferências temáticas online; Edição de Catálogo(s) – em princípio dois (um geral e outro sobre as Memórias de Braga); Serviço Educativo Online e Ciclo de Cinema.

“Ponderamos disponibilizar algumas exposições do nosso acervo para plataformas online, nomeadamente as que estejam ligadas à Universidade do Minho, e à Câmara de Braga”, revelou.

Na introdução ao tema do evento, Carlos Fontes escreve: “Genesis é tudo isso: a origem ou criação e, como em todas as criações e também na arte, a génese sucede à destruição. Com cada criação surgem novos significados, outros juízos de valor, outras teorias científicas, novos mitos novos algoritmos e, insidiosamente, velhos erros e revivalismos que atrasam os significados desta comunidade do futuro que, com o seu desleixo e as suas utopias de felicidade não as quis e não as quer perder”.