AMARES -
Activista Carlos Dobreira denuncia «imundice e vandalismo» em várias ruas, espaços de convívio e locais de devoção de Amares

O activista ambiental Carlos Dobreira denuncia, este sábado, após uma «breve visita matinal ao Concelho de Amares», a «imundice» e os «actos de vandalismo em várias ruas, espaços de convívio e locais de devoção do Concelho».

Em nota enviada, o também praticante de plogging salienta que «de facto, nas imediações do cruzeiro, junto à Rua do Vilar, é possível observar, no chão, velas pontapeadas, uma placa de sinalização da Quinta A Rival , embalagem de comida, embalagens de sumos, garrafas de vidro e restos de comida. Já nas ruas Divino Salvador, do Cruzeiro e na N205, constatei a sobrelotação dos contentores e a deposição de resíduos recicláveis, aparelhos eléctricos, mobiliário, grades de plástico e metais».

«CONCELHO COM UMA PEGADA ECOLÓGICA ASSUSTADORA» 

PUBLICIDADE

Carlos Dobreira nota ainda que «também no Monte da Santinha continua a ser possível a deposição de resíduos de construção e demolição e, já nas imediações da Capela de Nossa Senhora da Paz, a deposição de resíduos recicláveis, restos de comida e beatas de cigarro. 

«O Concelho de Amares, caracterizado pela sua beleza paisagística, tem uma pegada ecológica assustadora. Em Dia de Santo António e em pleno feriado municipal, urge reflectir sobre a consciência ecológica e uma relação saudável na Casa Comum, defendida pelo Papa Francisco na Carta Encíclica Laudato Si’, de 2015», conclui.