AMARES

AMARES -
Assembleia Municipal de Amares aprovou documentos de prestação de contas de 2021 com oito abstenções

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Assembleia Municipal de Amares aprovou por maioria, com oito abstenções, os documentos de prestação de contas da autarquia referentes ao ano de 2021. Na apresentação dos documentos, o presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, destacou que estes «mostram que a autarquia encara o futuro com responsabilidade», num ano com «muitos obstáculos», marcado, essencialmente, pela pandemia. Os documentos, segundo revelou o autarca, apresentam um resultado líquido positivo de «2,3 milhões de euros».

Manuel Moreira abordou ainda o tema em torno da realização de «obras importantes e estruturantes», lembrando o investimento na requalificação da rede viária do Concelho, na melhoria do abastecimento de água e a compra das Termas de Caldelas.

Os documentos de prestação de contas mostram que, em 2021, os valores de execução da despesa e da receita foram superiores a 16 milhões de euros e as taxas de execução globais rondaram os 90%. A receita global arrecadada pela autarquia atingiu 16 milhões e 240 mil euros e a despesa global registou 16 milhões e 236 mil euros, valores esses próximos dos obtidos no ano de 2020.

PUBLICIDADE

Na linha do que havia sido referido anteriormente pelo Presidente de Câmara, Martinho Braga, do Juntos por Amares, classificou o resultado obtido de «muito positivo, sobretudo num ano marcado pela pandemia de Covid-19».

«TUDO PARECE ESTAR BEM E MARAVILHOSO»

Já da bancada socialista, Domingos Paulo iniciou a sua intervenção ironizando que «tudo parece estar bem e maravilhoso», reconhecendo, contudo, «ser bom existir um resultado líquido positivo».

Não se poupando nas críticas, o socialista afirmou ainda que o plenário iria votar «contas das quais não tem conhecimento», apontando, de seguida, questões de «ordem técnica», tais como a «dependência do Município face ao financiamento externo» ou as «limitações financeiras para a formação» e também de «ordem política», atirando que o «documento é um espelho de tudo o que é o Concelho de Amares e não só a Câmara de Amares».

A sessão decorreu na noite desta sexta-feira no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS