REGIÃO

REGIÃO -
Associação convida a apadrinhar cabras no Parque Nacional da Peneda-Gerês

Share on facebook
Share on twitter
Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Associação Vezeira criou um programa de apadrinhamento de cabras bravias para ajudar a preservar esta raça autóctone e manter a tradição da vezeira da rés, ou seja, de pastorear à vez em Fafião, aldeia de Montalegre.

A vezeira da rés é uma tradição secular da aldeia comunitária de Fafião, em pleno Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG), e traduz-se em cada pastor tomar conta das cabras de todos à vez.

PUBLICIDADE

“As pessoas com mais idade foram desistindo e os jovens não querem, porque é muito difícil fazer o pastoreio das cabras em serra. Todos os dias os pastores fazem cerca de 15 quilómetros neste território”, disse à agência Lusa Júlio Marques, da Associação Vezeira, criada em 2010 para preservar o património histórico-cultural desta região.

O responsável recordou que a vezeira de Fafião já teve “mais de 2.000 cabras e mais de 20 pastores”, “o que fazia com que muitos dos pastores só precisavam de ir pastorear uma vez de 20 em 20 dias”.

Nos anos 2016/17 ainda havia “cerca de 600 cabras” na aldeia, um número que foi, depois, decrescendo todos os anos.

Preocupada com o declínio dos rebanhos desta espécie autóctone, a associação acabou por adquirir 200 cabras, introduzindo-as na vezeira, e contratou um pastor.

Neste momento, segundo Júlio Marques, há apenas dois pastores de cabra bravia e dois rebanhos, acabando por ser o da associação a passar mais dias na serra com os animais.

Para ajudar a manter a tradição, a Vezeira criou um programa de apadrinhamento destes animais dirigido a particulares e a empresas e que é feito de forma anual.

A verba angariada na iniciativa “Apadrinhar a Vezeira” é aplicada em medicamentos para os animais, na sua desparasitação, no maneio, alimentação suplementar e manutenção do pastor.

Os objetivos do programa vão ao encontro da missão da associação e passam pela preservação da tradição histórico-cultural da vezeira da rés da aldeia comunitária de Fafião, a proteção da raça autóctone da cabra bravia cada vez mais ameaçada e em perigo de extinção, impulsionar o turismo de experiências no mundo rural, como, por exemplo, o Dia do Pastor, e a limpeza dos terrenos baldios com o intuito de prevenir incêndios e facilitar o combate.

Júlio Marques referiu que está a ser preparado também o Dia do Apadrinhamento, que incluirá visita aos animais.

Em Fafião, ainda se mantém ativa a vezeira das vacas, mas com mais animais e mais criadores. As vacas começam a subir a serra em maio, onde permanecem até final de Setembro/Outubro, a cada dia acompanhadas por um criador.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE