REGIÃO -
Associação quer o reconhecimento de Berán como parte integrante do Caminho da Geira

A Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro (ACJMR) enviou ao conselheiro da Cultura e Turismo do governo regional da Galiza um documento em que pede o reconhecimento de Berán como parte integrante do Caminho da Geira, que liga Braga a Santiago de Compostela.

A iniciativa surge na sequência de uma petição e de um encontro marcado para o próximo sábado, dia 4 de Julho, com o objectivo de reivindicar o “respeito pela história” e pelo “traçado original” do projecto desenvolvido pela ACJMR, explica, em comunicado, o presidente da associação, Abdón Fernández.

PUBLICIDADE

Na missiva enviada ao conselheiro da Cultura e Turismo da Junta da Galiza, Román Rodríguez González, a ACJMR “pede que considere a passagem por Berán, de acordo com os dados históricos, ao contrário do que faz a proposta apresentada pela associação de concelhos”, que pretende desviar o itinerário da terra onde nasceu o projecto em 2009.

Na argumentação que enviou ao conselheiro, no dia 15 de Junho, a ACJMR explica que o traçado do Caminho da Geira e dos Arrieiros foi reconhecido a 28 de Março de 2019 pela Igreja, sendo desde então atribuída a Compostela a quem cumpre o itinerário.

“Este traçado, apresentado à Igreja pela Associação Codeseda Viva e praticamente coincidente com o nosso [Caminho da Geira Minhoto Ribeiro], contempla e bem a passagem por Berán, que fica a 100 quilómetros de Santiago, a distância mínima para a atribuição da Compostela aos peregrinos a pé”, explica Abdón Fernández.

Em defesa do caminho por Berán, os autores da missiva enviada a Román Rodríguez González apresentam documentação histórica e apontam o facto de “alguns dos autores da proposta da associação de concelhos terem reconhecido há anos a passagem por aquela localidade, mudando agora de opinião”.

O Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros, passando por quatro municípios portugueses e 15 galegos, tem também uma componente de termalismo. E este é mais um argumento usado por Berán, que possui termas, tendo sido investidos três milhões de euros num novo balneário, em 2003, mas que continua encerrado.

ENCONTRO NO SÁBADO

Com o objectivo de dar a conhecer o projeto da AJCMR, está marcado para sábado o encontro “Berán no Caminho. Somos Caminho – O Caminho da Geira Minhoto Ribeiro”.

No encontro será apresentado o projecto e o “traçado original”, com a sua passagem por Berán, e feita a descrição e comparação com outras propostas sujeitas a oficialização. O impacto sócio-económico do caminho na população local é outro aspecto em análise.

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi reconhecido pela Igreja no ano passado, quando o delegado de peregrinações do cabido da Catedral de Santiago, o deão Segundo L. Pérez López, assinou um certificado onde refere que o traçado cumpre “as condições de outros caminhos de peregrinação” e por isso “concede a Compostela” a quem o percorrer. Está em curso o processo de homologação pelas entidades civis.