EDIÇÃO IMPRESSA – Banco do Ramalho, um tesouro escondido nas paisagens do Parque Nacional

EDIÇÃO IMPRESSA –
Banco do Ramalho, um tesouro escondido nas paisagens do Parque Nacional

No lugar da Assureira, em pleno Parque Nacional da Peneda Gerês, mais concretamente na área correspondente à freguesia de Vilar da Veiga, está escondido, entre a vegetação que tanta beleza confere ao Parque, um marco patrimonial único em homenagem a um escritor de importância singular na Literatura Portuguesa. O “Banco do Ramalho”, com assinatura de Raúl Lino, em homenagem a José Duarte Ramalho Ortigão – que chegou a ser professor de Eça de Queirós e “membro” da denominada “Geração 70”, que revolucionou várias dimensões da cultura portuguesa, da política à literatura – por lá permanece à espera de uma requalificação, “como quem está sentado”, pois as marcas de vandalismo, onde já nem consta a placa evocativa ao escritor, são evidentes. Para saber dos planos e alterações que o futuro poderá trazer, fomos falar com António Príncipe, Presidente da Junta de Freguesia de Vilar da Veiga.

Mais desenvolvimentos na edição impressa deste mês

PUBLICIDADE