BRAGA – -
Braga discute em Alicante candidatura das Semanas Santas a Itinerário Cultural Europeu

Braga marcou presença na terceira assembleia da Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e Páscoa realizada em Orihuela, cidade da província espanhola de Alicante.

Este projecto internacional visa a criação de um Itinerário Cultural do Conselho da Europa, tendo como finalidade a salvaguarda e promoção das tradições vinculadas à vivência da Semana Santa em vários países europeus.

PUBLICIDADE

Neste encontro internacional, Braga fez-se representar pela vereadora Lídia Dias, que integra desde 2014 a organização da Semana Santa de Braga. Além da vereadora da Cultura, estiveram presentes Abel Rocha e Rui Ferreira, em representação da Comissão da Semana Santa.

Neste terceiro encontro dos representantes foram discutidos os próximos passos para a formulação da candidatura a Itinerário Cultural Europeu, num trabalho que deve decorrer previsivelmente até 2024.

Além de temas relacionados com a criação formal da associação que vai orientar este processo de candidatura e respectiva sustentabilidade financeira, foram abordados os requisitos para se proceder à candidatura e também foram discutidos os planos de trabalho e funcionamento do Comité Científico.

RUI FERREIRA NA COMISSÃO CIENTÍFICA

A este propósito, foi confirmado o nome de Rui Ferreira como membro desta comissão de especialistas que tem como missão a fundamentação teórica deste itinerário cultural.  A próxima assembleia vai decorrer em Madrid no final de Janeiro de 2020.

A reunião serviu ainda para a escolha da imagem oficial da rede, tendo sido apresentadas três propostas provenientes de três dos países que constituem a rede. A proposta que congregou a opinião favorável da maioria dos representantes foi apresentada pela Pi Creative Studio, empresa bracarense que colabora com a Semana Santa de Braga há mais de uma década.

Para Lídia Dias, esta assembleia foi “particularmente produtiva”, estando convencida que Braga, que “é a sede da Semana Santa mais emblemática de Portugal”, pode tirar particular benefício ao integrar esta rede europeia.

“É importante percebermos a identidade presente em cada uma das celebrações e particularmente as formas utilizadas para mobilizar as respectivas comunidades na sua vitalidade”, sublinhou a vereadora.

Recorde-se que a rede de Itinerários Culturais do Conselho da Europa é um programa lançado em 1987, que tem como finalidade demonstrar como “o património cultural da Europa se desenvolve através das fronteiras”, no espaço e no tempo. Um itinerário cultural europeu é uma rota que abarca países e regiões e que se organiza em torno de um tema cuja história, interesse artístico e cultural é claramente europeu, seja pela sua localização geográfica ou pelo seu conteúdo e significado.

O objectivo principal desta rota europeia é a congregação de esforços e sinergias na consolidação de um modelo de conservação e difusão do património da Semana Santa e Páscoa, ao mesmo tempo que promove estas expressões, dos diferentes membros e áreas geográficas envolvidas, como destinos turísticos de qualidade.

Além da Semana Santa de Braga, esta rede europeia é constituída pelos municípios de Palermo e Caltanissetta (Itália), Birgu (Malta), Skofja Loka (Eslovénia), Alcalá la Real, Baena, Cabra, Carmona, Lucena, Priego de Córdoba, Puente Genil, Écija, Osuna, Utrera, Orihuela, Lorca e Viveiro (Espanha).