BRAGA -
Câmara avança com qualificação do Bacalhau à Braga sem fechar a porta à inovação

A Câmara de Braga vai iniciar a qualificação do ‘Bacalhau à Braga’, um dos ícones gastronómicos da cidade. O objectivo é ligar a origem da famosa receita de bacalhau à capital minhota.

A autarquia pretende preservar a tradição e sabor da receita original, actualmente confeccionada em todo o país. A qualificação do prato foi a forma encontrada para “evitar que haja delapidação deste património gastronómico do concelho e reforçar a cidade como um dos principais destinos gastronómicos do país”, explicou este terça-feira Altino Bessa na apresentação do projecto que decorreu no Museu D. Diogo de Sousa.

Segundo o vereador do Município de Braga, a ideia passa por “preservar a raiz e identidade” deste prato, sem impedir as “adaptações e inovações” que possam surgir a partir dele.

PUBLICIDADE

 “Este não é um projecto castrador, nem se pretende que assim seja”, referiu, sublinhando ainda que o prato é uma marca que se pretende deixar para o futuro, funcionando como factor de divulgação da cidade.

O projecto realiza uma recolha documental da receita, com todo o seu histórico geográfico, assim como o levantamento das receitas em locais de produção nos restaurantes no distrito de Braga. No final, são entregues recomendações de melhoramento e manutenção da qualificação do receituário do Bacalhau à Braga. Este trabalho de investigação e recolha de informação está a ser levado a cabo pela Adere-Certifica.

O projecto pretende mostrar a produção local de alimentos e a diversidade, aliada à criação de pratos inovadores da região, no âmbito do Minho Região Europeia da Gastronomia. A autarquia espera que os restaurantes reabilitem e introduzem este prato nos menus dos seus restaurantes do município.

Este projecto, frisa Altino Bessa, “pretende ser um contributo para valorizar o património gastronómico de Braga e trazer os paladares mais apetitosos para as mesas portuguesas”.