AMARES -
Câmara recua na intenção de privatizar recolha de lixo e reforça capacidade interna

O presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira, admitiu esta segunda-feira, em reunião de executivo, que a autarquia recuou na intenção de privatizar a recolha de lixo, devido à pandemia Covid-19, estando agora a trabalhar no sentido de reforçar a capacidade interna.

Segundo o autarca, a Câmara está a estudar a possibilidade de adquirir um novo camião, em “leasing”, tendo também já assegurado a integração de dois funcionários para a secção da recolha de lixo.

PUBLICIDADE

«O lixo é, de facto, um problema grave. A principal dificuldade são os recursos humanos, porque não há quem queira trabalhar nessa área. Felizmente, conseguimos já recrutar dois jovens», explicou, na resposta a uma questão levantada pelo vereador do Movimento Amares Independente e Solidário (MAIS), Emanuel Magalhães.

Manuel Moreira acrescentou que a autarquia promoveu recentemente uma reunião para «agilizar e encontrar soluções» para fazer face ao Verão, época do ano em que a produção de lixo costuma ser muito superior.

Questionado pelo vereador do PS, Pedro Costa, se isso significava uma alteração à intenção de privatizar a recolha, em regime de “outsourcing”, o autarca confirmou que o executivo «abdicou» dessa solução.

«Se não fosse a pandemia, teríamos avançado com a privatização, mas entendemos voltar atrás e abdicar [dessa solução]», explicou.