AMARES – -
Centro de recolha de animais em Dornelas começa a ser construído este mês

A Câmara de Amares adjudicou, por um valor superior a 103 mil euros, a construção do Centro de Recolha Oficial para Animais de Companhia de Amares (CROAMA), em Dornelas, anunciou esta quarta-feira a autarquia.

Em comunicado, o Município amarense diz que a estrutura vai ocupar uma área com cerca de 350m2 e deverá estar concluído no início do mês de Agosto, ficando inserido num espaço florestal com cerca de quatro hectares.

PUBLICIDADE

«Este equipamento vai permitir ao Município de Amares dar cumprimento ao disposto na legislação, designadamente no que diz respeito ao controlo de animais errantes, que será complementado com a criação de um programa de adopções responsáveis de sensibilização e educação nos ensinos mais básicos», refere.

O edifício vai ficar dotado de um gabinete veterinário com três salas de apoio (tratamento/enfermaria, esterilização e recobro), duas celas de retenção, uma recepção, casas de banho, espaço para armazenamento de equipamentos, rações e produtos de limpeza e higiene.

Ao todo, este projecto contempla 26 celas para canídeos, com uma área de cerca de 5 m2 cada, quatro celas para gatos e uma para outras espécies.

Este investimento resulta do contrato programa celebrado entre a Direção-Geral das Autarquias Locais, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte e o Município de Amares, cuja construção foi adjudicada pelo valor de 103.911,00€.

A Direção-Geral das Autarquias Locais comparticipará financeiramente a obra em 50 mil euros, sendo o restante montante da verba oriunda da componente municipal.

As obras deverão iniciar ainda este mês.

A nota da autarquia acrescenta que «o CROAMA vai contar, ainda, com espaços exteriores que permitirão garantir a existência de condições para melhorar a qualidade de vida e de bem-estar animal».

«Este equipamento permitirá uma gestão das capturas, controlo e recolha de animais errantes de uma forma mais eficiente e estará articulado com o “Ecocanil – espaço circular”, o primeiro em Portugal, e que resultou de uma candidatura aprovada pelo fundo ambiental para a área da sensibilização para a economia circular», refere a Câmara Municipal.