AMBIENTE -
Construção de nova ETAR de Braga aguarda 20 milhões de euros de financiamento comunitário

Com a ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) de Frossos a atingir o seu estado de maturidade, o desafio da AGERE – Empresa de Águas, Efluentes e Resíduos de Braga passa pela construção de uma nova estrutura de tratamento orçamentada em cerca de 20 milhões de euros.

O projecto está pronto mas aguarda financiamento comunitário. “No quadro da reprogramação dos fundos comunitários esperamos que a nova ETAR seja contemplada para podermos avançar com este projecto que é absolutamente fundamental para o concelho”, explicou Ricardo Rio, referindo que o dossier já foi apresentado ao Ministério do Ambiente.

PUBLICIDADE

O presidente da Câmara falava na visita que efectuou, esta terça-feira, Dia Mundial do Ambiente, à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Frossos que foi alvo de um investimento de 1,3 milhões de euros. A intervenção teve como objectivo a redução do impacto ambiental da estrutura.

Segundo Rio, o investimento em Frossos reflecte “a ambição de servir mais e melhor os bracarenses”. “Esta ETAR tem erros de concepção e de montagem originais que temos vindo a corrigir paulatinamente, mas que não são totalmente elimináveis. Ainda assim, fizemos um progresso face às condições de impacto na envolvente para mitigar as consequências para a população”, sustentou o autarca.

Ao longo do dia, a AGERE promoveu visitas à ETAR de Frossos com o objectivo de mostrar à população e às empresas sediadas naquela zona do Concelho, as melhorias introduzidas naquela estrutura.

A intervenção implicou a cobertura das estruturas de tratamento, a criação de novas formas de arejamento e outras pequenas melhorias que tiveram como objectivo tornar mais rápido e eficiente o processo de tratamento das águas residuais.