AMARES –  Distribuídos 90 quilos de cenouras pelos alunos do pré-escolar e 1º ciclo

AMARES –
Distribuídos 90 quilos de cenouras pelos alunos do pré-escolar e 1º ciclo

“Hoje, nas escolas de Amares, há cenouras ao lanche” é o mote de uma iniciativa, inserida no regime de distribuição de frutas e produtos hortícolas nas escolas, que vai contemplar 900 alunos do pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico. Ao todo, serão distribuídos cerca de 90 quilos de cenouras pelos vários estabelecimentos de ensino amarenses.

Promover e dar a conhecer aos mais novos os benefícios da cenoura para a saúde, nomeadamente na prevenção de doenças da visão e no fortalecimento dos dentes e gengivas, é o objectivo principal desta medida.

PUBLICIDADE

O regime de frutas e hortícolas nas escolas é uma iniciativa de âmbito europeu, que pretende promover a prática de uma alimentação saudável.

Consiste na distribuição gratuita de fruta e/ou produtos hortícolas, duas vezes por semana, aos alunos do 1.º ciclo do ensino básico, procurando incrementar o consumo destes alimentos em idades precoces, contrariando maus hábitos alimentares e, por conseguinte, combater a prevalência de obesidade na infância/adolescência.

«Atendendo à importância do projecto, o Município de Amares decidiu, neste ano lectivo, alargar a distribuição de frutas e legumes às crianças dos estabelecimentos de ensino pré-escolar, sendo a sua comparticipação suportada na totalidade pela autarquia», refere a Câmara, em comunicado.

Desde 2009, o Município de Amares tem aderido anualmente a esta iniciativa, distribuindo às terças e quintas-feiras 100 gramas de fruta ou hortícolas a cada criança das escolas primárias e pré-primária.

«Na resposta, o feedback do corpo docente e não docente tem sido bastante positivo, já que consideram que a presença física destes alimentos no lanche, igual para todos, reforça a aquisição das competências ensinadas em contexto de sala», acrescenta.

A vereadora do pelouro da Saúde e da Educação do Município de Amares, Cidália Abreu, partilha com satisfação este feedback, que justifica plenamente «o esforço financeiro da autarquia, sempre preocupada em promover o consumo de alimentos de elevado valor nutricional em ambiente escolar, induzindo também indirectamente o seu consumo em casa».