REGIÃO -
Esposende inaugura ‘nova’ Fonte de Santa Marinha em Rio Tinto (c/vídeo)

A Câmara de Esposende inaugurou, virtualmente, a obra de requalificação da Fonte de Santa Marinha, em Rio Tinto, uma intervenção que custou cerca 57 mil euros, anunciou a autarquia.

A obra insere-se num plano que contemplou as obras do salão paroquial e da casa mortuária, “correspondendo ao melhoramento geral do centro cívico de Rio Tinto, dotando a freguesia de um conjunto de equipamentos importantes para a comunidade”.

A intervenção na Fonte de Santa Marinha, considerada um dos pontos de atracção turística do concelho e um local aprazível e de visita recorrente no Verão, era há muito reclamada pela população local, já que todo o espaço envolvente apresentava uma considerável degradação.

PUBLICIDADE

A intervenção a beneficiação do espaço circundante à fonte, entre a Ribeira de Milhazes e o Caminho do Souto, “proporciona excelentes condições de acesso”.

“Este é um espaço peculiar do nosso concelho que estava completamente esquecido e no qual há muito a população de Rio Tinto reclamava uma intervenção, ou não fosse Santa Marinha a padroeira da freguesia. A forte aposta que o município de Esposende faz, em termos de captação turística, assenta muito na diversidade do seu património natural. Além da atracção que constituem as nossas praias, dispomos de zonas fluviais e ribeirinhas, aprazíveis, que queremos rentabilizar”, sustenta o presidente da Câmara, Benjamim Pereira.

As obras ali realizadas incidiram no prolongamento do muro de suporte superior e dos patamares inferiores, até à ponte, a reconstrução do muro localizado por trás da fonte, a limpeza e beneficiação do piso do açude e a instalação de mesas, papeleiras e árvores. Foi instalada iluminação nos quatro patamares em que se divide este novo espaço de lazer e colocadas mesas de piquenique com bancos e papeleiras.

“Temos dedicado particular atenção aos cursos de água do nosso concelho, atendendo à importância que têm para o ecossistema, mas também para a preservação de tradições ancestrais da nossa população. Bons exemplos disso são os projectos E-Ribeiras e o Canal Interceptor, duas intervenções de grande impacto no nosso território”, lembra Benjamim Pereira.

Estas intervenções decorrem de uma “estratégia conjunta e de trabalho de equipa”, que envolve o município e a Junta de Freguesia, “correspondendo às prioridades por esta identificadas”.

“Rio Tinto fica agora dotado de um espaço que convida à visitação e com condições para acolher iniciativas que estimulem e promovam o convívio entre a população”, concluiu o autarca.

O confinamento decorrente da pandemia, e as persistentes regras de afastamento social, impediram uma apresentação pública das obras da forma mais convencional, pelo que o município recorreu  a um vídeo de apresentação final da intervenção disponível nos canais digitais do município.