POLÉMICA -
ETAR de Souto domina reunião de Câmara de Terras de Bouro

Uma dezena de populares da Freguesia de Souto foram, hoje, à reunião de Câmara pedir mais esclarecimentos sobre a alegada construção de uma ETAR naquela Freguesia. Os populares ficaram alarmadas com a vinda a público da intenção da empresa “Águas do Norte” de avançar com a construção daquela infra-estrutura, junto a uma zona ribeirinha, e dos possíveis maus-cheiros que possam provocar.

Numa coisa todos os cinco elementos do executivo estão de acordo: são contra a construção da ETAR em Souto. O Presidente da Câmara foi o primeiro a tomar a palavra para explicar que o processo vem do executivo anterior: «em 2016, a empresa “Águas do Norte” expropriou um terreno na Freguesia de Souto com a intenção, segundo eles nos informaram, de construir uma estação elevatória e ao lado uma ETAR». Manuel Tibo revelou, ainda, que «para já, não há processo nenhum na Câmara nem nenhuma informação oficial», lembrando que «legalmente, a empresa não precisa de autorização camarária para construir».

Manuel Tibo garantiu estar «disponível para fazer todos os esforços e ajudar a deslocar a ETAR para outro lado». Para o autarca, a função de um executivo «é resolver os problemas das pessoas e nós estamos aqui para isso. O saneamento é uma das nossas maiores preocupações e queremos dar passos significativos para resolver este assunto» e «se possível», sem a ETAR em Souto.

PUBLICIDADE

O Vereador do PS, Luís Teixeira, assumiu que «é um erro construir a ETAR em Souto porque vai diminuir a qualidade de vida das populações». A empresa “Águas do Norte” deve «cumprir o caderno de encargos que prevê ligações directas para a ETAR de Cabanelas que já foi construída para aguentar com o saneamento dos três Municípios».

Numa primeira fase, Luís Teixeira disse que «desconhecia» as intenções da empresa em construir uma ETAR em Souto e revelou que ia fazer uma proposta onde é dito que não aceita qualquer ETAR em Souto e que o fim deve ser a ETAR de Cabanelas. «Prefiro que demore 10 anos a construção de uma nova do que prejudique a população por 50 anos».

Confrontado pelo Vice-Presidente, Adelino Cunha, com o facto de ter sido Vereador das Águas e Saneamento no anterior executivo e por isso, não poder desconhecer as intenções da empresa, Luís Teixeira voltou um pouco atrás no discurso e revelou que «houve uma reunião com três responsáveis da “Águas do Norte onde estava o Dr. Cracel e eu. Nessa reunião foi falada da necessidade de construir uma ETAR, primeiro na Balança e depois em Souto, mas eu manifestei-me contra logo nessa altura».