BRAGA - -
Fábrica Confiança em vias de classificação como monumento de interesse público

A Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) quer classificar como monumento de interesse público o edifício da fábrica Confiança, em Braga, que a Câmara pretende alienar na próxima semana, segundo um anúncio publicado nesta sexta-feira em Diário da República.

“É intenção da DGPC propor à Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural a classificação como monumento de interesse público (MIP) da Saboaria e Perfumaria Confiança, ou Fábrica Confiança”, refere o anúncio publicado no DR, com data de 2 de Janeiro.

O documento dá início ao processo de classificação do edifício, fixando em 30 dias úteis o prazo para a consulta pública dos “elementos relevantes” reunidos pela DGPC para a definição do espaço como MIP e fixação da respectiva Zona Especial de Protecção (ZEP).

PUBLICIDADE

A Fábrica Confiança foi desenhada por José da Costa Vilaça e inaugurada em 1921, tendo produzido perfumes e sabonetes até 2005.

Em 2012, foi adquirida pela câmara, então presidida pelo socialista Mesquita Machado.

Chegou a ser aberto um concurso de ideias para o edifício, mas, entretanto, em 2013 a câmara mudou de mãos e em Setembro de 2018 a nova maioria PSD/CDS-PP/PPM votou pela venda, alegando que, por falta de fundos disponíveis para a reabilitação, o edifício se apresenta em “estado de degradação visível e progressiva”.

No final de Janeiro, a Câmara de Braga anunciou para o próximo dia 14 a hasta pública para a alienação do edifício da Fábrica Confiança, sendo o valor base de 3,6 milhões de euros.

O PS, BE, CDU e Plataforma Salvar a Fábrica Confiança contestam a alienação, considerando que o imóvel deveria continuar na esfera pública e ser convertido num equipamento cultural e não em residência universitária privada, com capacidade para 300 unidades de alojamento.