AMARES – ISAVE abre novo ano lectivo com 100 novos alunos

AMARES –
ISAVE abre novo ano lectivo com 100 novos alunos

Mais alunos, mais cursos e mais professores. O ISAVE – Instituto Superior de Saúde, em Amares, assinalou esta terça-feira, de forma oficial, o início do novo ano lectivo, em que se regista um aumento de cerca de 100 novos estudantes.

Segundo a presidente do ISAVE, Mafalda Duarte, 2019-2020 marca o momento de «consolidar o projecto» do instituto, que pretende «continuar a investir numa equipa de docentes de excelência, dar continuidade aos trabalhos de investigação, manter a relação de proximidade com a comunidade e, mais do que nunca, apostar na internacionalização».

PUBLICIDADE

No ano lectivo que agora se inicia, o ISAVE mantém as licenciaturas em Enfermagem e Fisioterapia e estreia um novo Curso Técnico Superior em Protecção Civil e Socorro (CTeSP), com quatro semestres, que se junta aos CTeSP de Serviço Familiar Comunitário, Termalismo e Bem-Estar e Gerontologia.

Neste novo ano, são também lançadas pós-graduações em Gestão de Organizações Sociais e de Saúde e Cuidados Continuados e Paliativos, que se iniciam em Outubro.

Mafalda Duarte lembrou também que o ISAVE «precisa de crescer» em termos de instalações, estando o espaço físico «no limite dos limites». «Precisamos de salas, de laboratórios e de aumentar a biblioteca para que possamos ter um espaço acolhedor e que cumpra com os requisitos necessários», vincou.

Falando em concreto aos alunos, o presidente do Conselho de Direcção, João Luís Nogueira, apelou a que os alunos «saibam honrar a responsabilidade» de frequentarem uma instituição de ensino superior, sendo «capazes de puxar o ISAVE para cima».

«É muito reconfortante saber que temos mais de 100 novos alunos. É sinal de que acreditam no nosso projecto», apontou, considerando que os estudantes precisam de adquirir competências humanas e não apenas competências pedagógicas.

A sessão de abertura oficial do novo ano lectivo do ISAVE, cujas aulas já começaram no dia 16 de Setembro, integrou ainda uma conversa com o professor e investigador Luís Saboga Nunes sobre “Literacia para a Saúde”.

[Notícia actualizada]