AMARES -
Lançado concurso para requalificar creche e jardim de infância da Misericórdia

A Santa Casa da Misericórdia de Amares vai avançar com a ampliação e requalificação do espaço da creche/jardim de infância e ainda do Centro de Actividades de Tempos Livres, num investimento total superior a um milhão de euros.

A primeira fase, cujo procedimento já foi publicado em Diário da República, será a requalificação e ampliação dos edifícios da creche e jardim de infância, que representa um investimento de 700 mil euros e deverá estar concluída no início do novo ano lectivo.

PUBLICIDADE

«A segunda fase, que se iniciará logo que terminadas as obras da primeira, passará pela construção de um auditório com uma capacidade para 80 lugares e pela requalificação das instalações do CATL (Centro de Actividades de Tempos Livres), com um investimento de 350 mil euros», refere uma publicação da instituição.

Segundo a Santa Casa da Misericórdia de Amares, «a empreitada de requalificação agora lançada a concurso tem como principal fundamento aumentar o bem-estar de todas as crianças que frequentam a instituição, reabilitando edifícios construídos há mais de 40 anos».

Será feita a «remoção das coberturas de amianto ainda existentes e incrementada uma melhor interacção entre os espaços comuns e de serviços, proporcionando uma maior comodidade, que se consubstancia por uma maior preocupação em termos de segurança, funcionalidade e apropriação dos espaços».

«Esta ampliação do equipamento permitirá aumentar a capacidade da resposta de 46 para um máximo de 84 crianças, traduzindo-se tudo isto num acréscimo de serviços a prestar à comunidade e, ainda, cooperando com as famílias no desenvolvimento educativo das crianças», assinala.

O conjunto destas obras representa um investimento que ultrapassa um milhão de euros.

O investimento na creche conta com um apoio financeiro público no valor de € 373.398,00, no âmbito da candidatura formalizada pela Santa Casa da Misericórdia de Amares à medida PARES 2.0., sendo todo o restante investimento suportado por capitais próprios da instituição e pelo recurso a financiamento bancário.