PAÍS -
Matos Fernandes considera “miseráveis” questões de Emília Cerqueira sobre erros da Águas do Alto Minho

O ministro do Ambiente qualificou demiseráveis” as considerações da deputada Emília Cerqueira durante a audição do governante na assembleia da República, esta quarta-feira, a propósito dos erros de facturação cometidos pela Águas do Alto Minho.

A parlamentar social-democrata, eleita pelo círculo de Viana do Castelo, questionava Pedro Matos Fernandes no sentido de saber para quando a demissão da administradora executiva da Águas do Alto Minho (AdAM), por ele nomeada. 

Em causa os 15 mil erros de facturação cometidos no primeiro trimestre de actividade da empresa detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito minhoto.

PUBLICIDADE

O ministro respondeu que erro tinha sido já “reconhecido por quem dirige essa mesma empresa”.

“Já foram emitidas notas de crédito depois desse erro de facturação. Seguidamente, serão feitas as facturas quando houver condições para poderem ser feitas”, explicou Matos Fernandes.

O titular da pasta do Ambiente partiu de seguida para o ataque.

“Quem nunca fez nada, nunca se enganou. Mas não me recordo de ter ouvido a senhora deputada a pedir desculpa quando assinalou por engano a presença de outros colegas de bancada na sala que cá não estavam!”, atirou Matos Fernandes.

Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PSD), Viana do Castelo (PS) e Vila Nova de Cerveira (Movimento independente PenCe – Pensar Cerveira), que compõem a Comunidade Inter-municipal (CIM) do Alto Minho, são os municípios que integram a empresa. De foram estão os concelhos de Ponta da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS).

Vídeo em  https://youtu.be/IXnXPVir1_I