REGIÃO -
Ministro do Ambiente diz que não faz sentido ligar Braga e Guimarães por metro de superfície. Câmaras pensam diferente

O ministro do Ambiente e da Acção Climática considera que não faz sentido ligar Braga a Guimarães por metro de superfície. Ao invés, João Matos Fernandes defende reforço dos sistemas de transporte, ao contrário do que defendem Ricardo Rio e Domingos Bragança, respectivamente presidentes daqueles dois municípios.

O ministro do Ambiente e da Acção Climática disse esta segunda-feira no parlamento que não faz sentido ligar as cidades de Braga e Guimarães por metro de superfície, defendendo, ao invés, um reforço do sistema de transportes.

“Braga e Guimarães em linha recta são, para aí, 17 quilómetros. Não tem sentido, com todo o respeito, haver um metro de Braga a Guimarães. Tem sentido, isso sim, haver um reforço do sistema de transportes em Braga e Guimarães”, afirmou João Matos Fernandes.

PUBLICIDADE

O ministro, que falava numa audição parlamentar para apreciação da proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2021, na Assembleia da República, em Lisboa, respondia desta forma a uma pergunta do deputado do PS Hugo Pires, eleito pelo circulo de Braga, sobre uma eventual ligação entre as duas cidades minhotas.

Esta posição do ministro surge cerca de três meses depois de o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança (PS), ter anunciando que estava em conversações com a autarquia de Braga para conseguir uma ligação entre as duas cidades por metro de superfície.

Segundo o autarca de Guimarães esse investimento poderia ascender a 150 milhões de euros.

Na altura, também o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio (PSD) se manifestou sobre este projecto, afirmando estar convicto de que haveria condições para a concretização da ligação, num futuro próximo.