AMARESMoldura humana em forma de laço assinalou mês da Prevenção dos Maus Tratos Infantis

AMARES
Moldura humana em forma de laço assinalou mês da Prevenção dos Maus Tratos Infantis

A CPCJ – Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Amares promoveu, esta sexta-feira, uma acção de sensibilização, marcando simbolicamente o Mês da Prevenção dos Maus Tratos Infantis, assinalado em abril. A iniciativa decorreu às 12h00, em simultâneo em todas as escolas do concelho, e consistiu na criação de uma moldura humana em forma de laço azul em cada um dos respetivos estabelecimentos de ensino. Paralelamente, foi distribuído um autocolante alusivo a esta problemática pela comunidade escolar.

A campanha do Laço Azul teve origem nos Estados Unidos da América, no final dos anos 1980, pela mão de Bonnie Finney, uma avó que, com o intuito de alertar a comunidade para os maus tratos a que os netos eram submetidos pelos seus pais, colocou na antena do seu carro uma fita azul, para que as pessoas se questionassem sobre tal adereço.

PUBLICIDADE

O azul simbolizava as marcas e hematomas sofridos pelas crianças. No ano em que comemora os seus 20 anos de existência, a CPCJ de Amares não quis deixar de cumprir a sua missão de prevenção e sensibilização da comunidade amarense, convidando todos à reflexão e envolvimento no combate a esta problemática.

O presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, a vereadora da Educação e Ação Social, Cidália Abreu, a directora do Agrupamento de Escolas de Amares, Flora Monteiro e a presidente da CPCJ de Amares, Maria da Glória Teixeira, junto com a comunidade escolar, fizeram parte deste momento simbólico.