AMARES -
Moreira arrepende-se de adesão à Águas do Norte e reclama praia fluvial na Ombra

O presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira, admitiu esta quarta-feira que se arrepende da adesão à Águas do Norte e voltou a reivindicar a construção de uma praia fluvial na Ombra, em Ferreiros, junto ao Rio Cávado.

«Cumprimos com a nossa parte quando aderimos à Águas do Norte, algo que se fosse hoje não fazia. A ETAR [Estação de Tratamento de Águas Residuais] da Ombra foi desactivada, mas continuamos à espera que ali seja criada uma praia fluvial», afirmou.

PUBLICIDADE

O autarca falava durante a sessão simbólica de lançamento da primeira pedra de um troço da Ecovia do Cávado e Homem, em Vila Verde, que já está em execução, assim como uma ponte pedonal e ciclável sobre o rio que vai ligar Soutelo (Vila Verde) a Lago (Amares).

Dirigindo-se ao presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), António Cunha, que presidiu à sessão, Manuel Moreira pediu que seja feita força para que os concelhos de menor dimensão tenham acesso a financiamento.

«Aquilo que percebemos é que as verbas vão quase todas para as áreas metropolitanas, o que nos deixa tristes e desanimados», desabafou.

O autarca amarense lembrou o «grande investimento» feito no saneamento básico e destacou a «enorme riqueza natural» existente no concelho.

«Este projecto da ecovia é estruturante e fundamental para um território como o nosso, cuja estratégia assenta no turismo», destacou o edil de Amares.