AMARES -
Moreira irrita-se e diz que muita gente gostaria de o ver preso

Uma intervenção do vereador do PS, Pedro Costa, sobre o projecto de requalificação do Monte de São Pedro Fins motivou uma intervenção inflamada do presidente da Câmara, num «desabafo» público em que Manuel Moreira criticou a «cobardia» de quem o acusa e pediu que o deixassem trabalhar no desenvolvimento do concelho.

Lamentando ter tido conhecimento do que está projectado para o Monte de São Pedro Fins pelo jornal, Pedro Costa defendeu que o projecto «deve ser amadurecido e pensado», considerando que há aspectos que precisam de ser revistos, como o facto de «muito betão».

PUBLICIDADE

Na resposta, antes da ordem do dia, Manuel Moreira começou por dizer que o projecto vai ser levado em breve a reunião de Câmara, que «fica bem enquadrado» e «não cria nenhuma ferida ambiental», para depois ir endurecendo o discurso e acabar por atirar em várias direcções.

«Estamos aqui todos para trabalhar em prol do crescimento e desenvolvimento de Amares. Aquele é um ex-líbris do concelho. Temos hoje o acesso arranjado e criticaram, o PS criticou. Criam problemas em todos os lados. O importante é que se faça obras, se desenvolva Amares», atirou.

Num tom cada vez mais inflamado, o presidente da autarquia falou de «cobardes que atiram a pedra e escondem a mão» através de denúncias anónimas e redes sociais que servem, segundo disse, para o atacar pessoalmente.

«Faço as coisas com dignidade, paixão e amor ao concelho. Deixem-me trabalhar! Podemos discutir opções políticas, porque todos erramos, mas chega de intrigas. Há muita gente que gostaria de me ver preso», atirou.

ISIDRO FALA DO PS

Já depois de Pedro Costa ter dito perceber o desabafo do autarca, não se revendo numa política intriguista, o vice-presidente da Câmara, Isidro Araújo, voltaria ao tema – e à picardia com o vereador socialista na última reunião do executivo, que “O Amarense” então noticiou.

«Quero associar o meu protesto sobre a hipocrisia, falsidade e cobardia de alguns sites contra o executivo. São sites cobardes, que vivem exclusivamente contra o executivo e contra as pessoas», atirou.

Isidro Araújo foi então mais longe, dizendo que «alguém ligado ao PS» e à candidatura de Pedro Costa tinha escrito, numa rede social, «o desencontro» que ambos tiveram na última reunião, a propósito da Feira Franca, mas apenas com o ponto de vista do vereador socialista.

Pedro Costa fez a defesa, garantindo que tudo o que não é assumido por ele ou pelo partido não lhes pode ser imputado e lembrando que ele próprio também já foi vítima de acusações nas redes sociais.

«Essa é uma acusação grave. Não sei em que se baseia para dizer que é gente da minha candidatura ou do PS que escreve. Não tem nenhuma prova disso. Eu também ouço muitas coisas e não as repito, porque não tenho provas», atirou.