JUSTIÇA –  MP acusa quatro gestores de sociedade de Amares de insolvência dolosa

JUSTIÇA –
MP acusa quatro gestores de sociedade de Amares de insolvência dolosa

Quatro gerentes de uma empresa, com sede em Amares, estão acusados pelo Ministério Público de um crime de insolvência dolosa agravada, por terem decidido «alienar e dissipar património para evitar que os credores se ressarcissem à custa dele».

De acordo com a acusação, tornada pública esta segunda-feira na página da Procuradoria-Geral Distrital do Porto, os arguidos, enquanto gerentes – primeiro de direito e depois só de facto – de uma sociedade por quotas com sede em Amares, perceberam, pelo menos em finais de 2011, que a empresa encontrava-se impossibilitada de cumprir com as suas obrigações vencidas, numa material situação de insolvência.

PUBLICIDADE

A acusação sustenta que os arguidos transmitiram a terceiros, entre os quais a filha de um deles e a companheira de outro, dois automóveis e um empilhador, tendo também cedido, a uma empresa credora, a posição que a sociedade tinha num contrato de locação financeira imobiliário.

Com isso, diz o MP, retiraram do património da sociedade um activo de valor superior a 500 mil euros sem qualquer contrapartida e impediram qualquer credor de receber a totalidade dos seus créditos, designadamente os trabalhadores.