BRAGA -
Município de Braga lançou procedimento para elaboração do projecto de “Reordenamento viário do Nó de Infias e Rede Envolvente”

O Município de Braga lançou esta segunda-feira, 21 de Dezembro, o procedimento de contratação para a elaboração do projecto de execução do “Reordenamento Viário do Nó de Infias e da Rede Envolvente”. Este procedimento, no valor de «400 mil euros, tem um prazo de execução de 210 dias e integra ainda a elaboração de todos os estudos e relatórios necessários às aprovações ambientais previstas na legislação em vigor, bem como a coordenação de segurança em projecto».

Com base no que acima foi referido e em função do que vier a ser acordado entre o Município de Braga e a Infraestruturas de Portugal, «estima-se que o procedimento de contratação da obra de execução do projecto será lançado até ao final de 2021», acrescenta o Município em nota enviada, prosseguindo que «os estudos devem ser elaborados de acordo com as portarias em vigor e compreenderão a caracterização da situação existente, o projecto de execução e a assistência técnica. Com o projecto base devem ser entregues o Estudo de Rentabilidade Económica e o Estudo de Tráfego».

A Infraestrutura em questão caracteriza-se por ser um «ponto da rede viária com um nível de serviço aquém do expectável», decorrente da «frequente existência de congestionamento associado a alguma sinistralidade, que resultam, sobretudo, da confluência de diversas vias que provêm de Concelhos limítrofes. A sua envolvente, além de ser uma área com forte predomínio da função residencial, integra também outras funções como a comercial, de lazer e serviços», explicam.

PUBLICIDADE

Sendo este um dos pontos principais de congestionamento de trânsito da cidade de Braga, pretende-se proceder ao reordenamento vário do Nó existente e da rede envolvente, «efectuando a sua requalificação e beneficiação, no sentido de melhorar as condições de circulação e segurança no local e incrementar a capacidade de escoamento do tráfego de atravessamento, priorizando as ligações da EN101 à Avenida António Macedo, e a capacidade nas saídas da cidade».

ESTUDO

Na mesma nota, pode ainda ler-se que o «o estudo a desenvolver enquadra-se num Acordo de Colaboração estabelecido entre a IP – Infraestruturas de Portugal, SA (IP) e o Município de Braga, cabendo a ambos os organismos o seu acompanhamento e respectiva aprovação, bem como a repartição equitativa do custo de elaboração dos projectos».

INTERVENÇÃO

Com o reordenamento do Nó de Infias e da rede envolvente pretende-se «privilegiar a ligação da Variante EN101/EN201 à Avenida António Macedo (Variante EN14)», sendo entendimento da IP e do MB que a solução mais adequada passará pelo «desnivelamento recorrendo à implementação de uma estrutura em viaduto». A ligação da Variante EN101/EN201 à Avenida António Macedo, no sentido Norte-Este, «deverá ser estabelecida através de viaduto de forma directa e sem cruzamentos».

Por outro lado, a ligação da mesma Avenida à Variante 101/201 «poderá ser assegurada através de viaduto com desnivelamento a partir do ramo de saída daquela de forma desimpedida e directa, o que permitirá a eliminação da acumulação de trânsito verificada actualmente na Avenida e a diminuição da pressão sobre aquela via». O viaduto principal deverá desenvolver-se a partir das vias centrais da Variante EN101/EN201, libertando as vias laterais para as ligações à Avenida António Macedo.

Com esta solução, pretende-se «minorar os constrangimentos observados na intersecção da mesma Avenida com o Nó, no sentido Este-Oeste e aumentar a fluidez na saída do centro da cidade para essa via aliviando a pressão aí verificada actualmente».

Esta intervenção, ao «assegurar uma maior fluidez na ligação entre as duas variantes nacionais, conduzirá a um melhor funcionamento geral do Nó e a uma melhor articulação com as vias distribuidoras como parte integrante da rede da cidade de Braga. Pretende-se com a solução a estudar melhorar significativamente as ligações nascente/centro, poente/norte e norte/nascente, além de eliminar as intersecções de todos os fluxos prioritários».