BRAGA -
Museu da Imagem reúne espólio fotográfico de Braga em tempos de pandemia de fotógrafos da cidade

O Museu da Imagem está a reunir um espólio fotográfico sobre o impacto da pandemia covid-19 na cidade de Braga que tem como objectivo assumir-se como um documento histórico representativo do período que vivemos.

No sentido de constituir este espólio, o município desafiou os fotógrafos bracarenses Gonçalo Delgado, Hugo Delgado e Luís Vieira a mostrarem a sua visão sobre estes tempos de enorme transformação ao nível das relações interpessoais, da economia, da indústria, da investigação e da cultura.

PUBLICIDADE

Como resultado deste desafio, o acervo do Museu da Imagem é enriquecido com um conjunto de 60 fotografias, 20 de cada artista.

Quando a colecção for concluída, as imagens são tratadas e catalogadas, podendo no futuro ser trabalhadas em registo de publicação e/ou exposição. Estas fotografias constituem mais um fundo patrimonial que fará parte da memória das suas gentes e da cidade.

Este é um período que está a marcar de forma indelével as sociedades do mundo globalizado e cujas consequências futuras e potencial de transformação ainda se desconhecem na totalidade. As cidades viram-se obrigadas a modificar as suas vivências e a assumirem novas regras de distanciamento social como lógica de protecção contra a propagação do vírus, levando mesmo ao encerrando temporário de diversas actividades.

A pandemia de covid-19 é um acontecimento entendido como um dos maiores desafios que a humanidade enfrenta desde a II Guerra Mundial e os registos obtidos por estes profissionais da fotografia é um valioso instrumento para futuras aprendizagens e análises deste tempo.

Pela lente destes três fotógrafos poder-se-á, entre outros pormenores, observar o total vazio da cidade, evocar os rostos dos da linha da frente na luta à pandemia, recordar as novas adaptações no centro de rastreio e nos serviços municipais e analisar o retomar progressivo à nova normalidade.