SAÚDE -
Níveis de imunidade à covid-19 caem três meses após recuperação, alerta estudo chinês

Os níveis de anticorpos encontrados em pacientes recuperados da covid-19 caíram acentuadamente em dois a três meses após a infecção, tanto para pacientes sintomáticos como para assintomáticos, de acordo com um estudo chinês, levantando questões acerca da duração da imunidade contra o novo coronavírus.

Um estudo publicado na conceituada revista Nature Medicine destaca o risco do uso de “passaportes de imunidade” para a covid-19 e defende o uso prolongado de intervenções de saúde pública, como o distanciamento social e o isolamento de grupos de risco.

As autoridades de saúde em alguns países como a Alemanha estão a debater a ética e os aspectos práticos de permitir que as pessoas que testam positivo para anticorpos se movam mais livremente do que outras.

PUBLICIDADE

O estudo, baseado em 37 pacientes sintomáticos e 37 assintomáticos, constatou que daqueles que testaram positivo para a presença do anticorpo IgG, um dos principais tipos de anticorpos induzidos após a infecção, mais de 90% apresentaram declínios acentuados dessa imunidade em dois a três meses.

A percentagem média de redução da imunidade foi superior a 70% para pacientes sintomáticos e assintomáticos.

O estudo foi conduzido por investigadores da Universidade Médica de Chongqing, uma filial do Centro Chinês de Controlo e Prevenção de Doenças.

Jin Dong-Yan, professor de virologia da Universidade de Hong Kong que não fez parte do grupo desta pesquisa, refere que esta investigação não nega a possibilidade de outras partes do sistema imunitário oferecerem protecção contra este vírus.

Este virologista alerta ainda para o facto da amostra utilizada no estudo (64 pessoas) ser baixa.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou esta segunda-feira que a pandemia, que desde Dezembro já causou a morte a pelo menos 468.518 pessoas e infectou quase nove milhões em todo o mundo, continua “a acelerar-se” globalmente, com “o último milhão de casos de infecção diagnosticados em apenas oito dias”.