LEGISLATIVAS - Nós, Cidadãos! acusa em Braga Estado de “falta de respeito” pelos veteranos de guerra

LEGISLATIVAS -
Nós, Cidadãos! acusa em Braga Estado de “falta de respeito” pelos veteranos de guerra

A candidatura do Nós, Cidadãos! às Eleições Legislativas dedicou o dia desta quinta-feira à solidariedade inter-geracional, com visitas à sede nacional da Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra, em Braga, e à Arpifafe, em Fafe.

Para Armando Caldas, cabeça-de-lista por Braga, “a falta de respeito e memória por todos aqueles que defenderam a Pátria no Ultramar é absolutamente inconcebível no século XXI”.

PUBLICIDADE

“O reconhecimento do Dia Nacional do Combatente e do Estatuto do Combatente, que se traduz, entre outros, na isenção de taxas moderadoras e de pagamento de transporte de doentes para os ex-combatentes que sofram de patologias que obriguem a deslocações periódicas a unidades de saúde, mais não é do que a obrigação de o regime político dar um pouco de si a quem tudo deu em prol de Portugal, aliás à semelhança do que acontece noutros países, nomeadamente em França”, afirmou Armando Caldas.

Por outro lado, José Miguel Anjos, número 2 por Braga, considera que “pagar aos ex-combatentes um subsídio anual de 150 euros, e exigindo para tal subsídio uma permanência no Ultramar não inferior a 24 meses, é o símbolo de um regime decrépito e falido, que não sabe de onde veio, onde está e para onde quer ir”.

O candidato afirma que “a falta de respeito e de memória é uma traição aos valores de Portugal e tem responsáveis, desde a esquerda e sobretudo a extrema esquerda parlamentar, submissa a uma agenda ideológica aliada aos movimentos que combateram os soldados do exército português e o centro-direita, que sofre de complexo de esquerda e de falta de coragem para defender hoje quem outrora defendeu o país”.