REGIÃO -
Parede rui parcialmente em casa da Citânia de Briteiros

Uma parede de uma das casas da Citânia de Briteiros, em Guimarães, ruiu, entre os dias 26 e 27 de Maio, informa a Sociedade Martins Sarmento na rede social Facebook.

Aquela entidade vimaranense está já diligenciar a reparação dos danos e a consolidar a parede circular da casa, tendo sido sinalizada e proibida a aproximação de visitantes.

PUBLICIDADE

A estrutura circular em questão (a casa com janelas) foi reconstruída por Francisco Martins Sarmento entre 1875 e 1876, tendo sido colocada no seu interior a Pedra Formosa. Alguns anos depois, quando a Pedra Formosa foi recolhida no Museu, a parede da casa foi parcialmente demolida e novamente refeita.

No início do século XX as duas casas reconstruídas estiveram vários anos sem cobertura, até que se empreendeu a renovação periódica da cobertura de colmo até à actualidade”, lê-se no post, que acrescenta que “as duas construções receberam uma cobertura nova em Julho do ano passado”, através de uma parceria entre a Sociedade Martins Sarmento e a Casa do Povo de Briteiros”, intervenção que se centrou “apenas nas coberturas de colmo, não nas paredes”.

Sendo dois símbolos da Citânia, testemunhando a primeira experiência de reconstituição arquitectónica realizada num castro do Norte de Portugal, as duas casas reconstruídas têm sido mantidas tal como ficaram depois da experiência de Sarmento. É assumido, tal como, aliás, o próprio Sarmento fez em seu tempo, que as construções originais eram consideravelmente mais baixas.