REGIÃO -
Parque Nacional Peneda-Gerês. Eurodeputado José Manuel Fernandes alerta para urgência no reforço da prevenção contra fogos

Em visita ao Parque Nacional da Peneda-Gerês, o eurodeputado José Manuel Fernandes deixou um alerta para a urgência de um reforço suplementar das medidas de prevenção contra os fogos, face aos riscos elevados previstos para este Verão e à necessidade de salvaguardar um importante património do país.

“É necessário relembrar que os incêndios são uma tragédia no nosso país. Têm causado a perda de vidas humanas, de biodiversidade e de património. A solução está na prevenção. Cada um tem de fazer a sua parte e há trabalho e investimentos que não podem ser adiados ou desvalorizados”, desafiou José Manuel Fernandes.

PUBLICIDADE

Num périplo pelo PNPG acompanhado pelo presidente da Câmara de Terras de Bouro, Manuel Tibo, o eurodeputado lamentou que “continuem a faltar recursos importantes” no combate aos fogos florestais, como é o caso, por exemplo, das comunicações móveis.

“Portugal tem um único parque nacional, que é preciso preservar e cuidar. O Governo tem de valorizar a floresta e ter uma verdadeira política florestal”, apontou José Manuel Fernandes, lembrando que a União Europeia tem procurado fazer a sua parte, em termos de medidas de valorização ambiental e da biodiversidade, assim como de recursos para ajudar os Estados-Membros em caso de tragédias.

O Mecanismo Europeu de Protecção Civil tem vindo a ser reforçado, incluindo ao nível de meios aéreos que podem ser importantes para reforçar o combate a incêndios florestais, num verão para o qual as projecções apontam para riscos “acima da média” na UE.

A situação é mais preocupante para países com o Portugal, o país que mais incêndios têm registado nos últimos anos na Europa. Há ainda riscos agravados ao nível de incêndios rurais, com especial perigosidade para as zonas serranas do Gerês e interior Norte, conforme indica a Cartografia da Perigosidade Estrutural 2020 divulgada pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

“Numa altura em que o convite é para fazermos turismo cá dentro, não podemos descurar a importância de proteger e valorizar o nosso património e as nossas mais-valias, como são a natureza, a biodiversidade, a cultura e o património histórico, aliados à nossa boa gastronomia, ao alojamento local e extraordinária hospitalidade das nossas gentes”, vincou José Manuel Fernandes.

O autarca Manuel Tibo salientou os bons exemplos do concelho de Terras de Bouro para a valorização da “oferta turística de excelência” da região, onde sobressaem as paisagens paradisíacas e o ambiente rural das aldeias típicas, um vasto património cultural e religioso, como os caminhos e santuário de S. Bento, trilhos e percursos pedestres, praias fluviais, entre outros.

A propósito do grande impacto do turismo na economia nacional, o eurodeputado salientou a importância da actividade turística em territórios de baixa densidade, fora dos circuitos de massas, mas com um contributo ainda mais determinante como “motor de desenvolvimento, de emprego e crescimento, e também como elemento de coesão territorial, económica e social”.