REGIÃO -
Ponte de Lima. Feiras Novas proibidas

A Câmara Municipal de Ponte de Lima aprovou na reunião de executivo manter a proibição de realização de festas, romarias e eventos similares até 30 de Setembro. As célebres Feiras Novas, previstas para 4 a 9 de Setembro, estão incluídas no ‘pacote’ das proibições.

A proposta da autoria do presidente da autarquia, Victor Mendes, surge na sequência do já deliberado pelo Conselho Inter-municipal da Comunidade do Alto Minho – CIM, que em colaboração com a ULSAM – Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Centro Distrital da Segurança Social e Protecção Civil Distrital, após análise ao impacto da pandemia da Covid-19 no Alto Minho.

PUBLICIDADE

Na altura foi deliberado que os municípios do Alto Minho não iriam autorizar qualquer licença para romarias, festas e eventos similares que decorram até final do mês de Setembro, “face aos graves riscos de saúde pública associados à propagação” da pandemia do novo coronavírus no Alto Minho.

O executivo limiano teve ainda em consideração a decisão da Conferência Episcopal Portuguesa, que comunicou que todas as procissões, festas, concentrações religiosas, acampamentos, e outras actividades similares passiveis de propagação da epidemia ficam adiados para o próximo ano pastoral; bem como a decisão governamental que proíbe a realização de festivais e espectáculos de natureza análoga, até 30 de Setembro deste ano.

Neste contexto, a Câmara aprovou proibir a realização de festas, romarias e eventos similares que envolvam o aglomerado de pessoas, até 30 de Setembro, bem como a emissão de licenças de ruído, arraial, recinto e licenças para lançamento de fogo-de-artifício, fazendo “face aos graves riscos de saúde pública associados à propagação da pandemia da Covid-19, no concelho”.