BRAGA - -
Proposta de praia urbana no Parque Desportivo da Rodovia volta ao OP 2020 de Braga

A criação de uma praia urbana no Parque Desportivo da Rodovia regressa ao Orçamento Participativo (OP) 2020 de Braga.  A proposta, concorrente no ano passado, está entre as 38 que chegaram a votação. Para o mesmo espaço surge outras duas propostas: a construção de um edifício para acolher uma biblioteca infanto-juvenil e um espaço de jogos de mesa para crianças e adultos.

Concorrente na área de intervenção ‘Equipamentos’ (melhoria ou reparação de equipamentos culturais e sociais) e espaços públicos (jardins, parques e praças) a ideia, com o valor estimado máximo (85 mil euros), pretende “valorizar” o Parque Desportivo da Rodovia, em S.  Victor, com a colocação na parte relvada várias plataformas circulares com fontes enterradas que lançam jactos de água (dotadas de filtros e com doseadores automáticos) “para diversão dos menores e maiores”.

A proposta, que em 2019 não ultrapassou a segunda ‘volta’ da votação, refere ainda que a praia será dotada com guarda-sóis, cadeiras de praia, pontos de água e pulverizadores de água. Para a noite é prevista a projecção de sessões de cinema ao ar livre, concertos, biblioteca jardim e festas temáticas promovidas pelo município.

PUBLICIDADE

“É uma praia que pretende promover a ocupação dos tempos livres dos jovens e famílias que usufruam do espaço para bem-estar e lazer”, resumem os proponentes.

“Apesar das importantes intervenções culturais nos últimos anos, a cidade de Braga continua a carecer de espaços onde as nossas crianças possam não apenas despertar para o hábito da leitura, crucial na sua formação, mas também brincar sem constrangimento”. É a partir desta premissa que surge a segunda proposta para o Parque da Rodovia: a Biblioteca Infanto-Juvenil.

Assim, e também com o custo estimado de 85 mil euros, é pretendida a construção de um edifício de fachada envidraçada de um espaço de leitura e brincadeira. O projecto contemple ainda a construção de “um pequeno parque infantil no espaço contíguo ao edifício e preservando o arvoredo existente, com uma cerca em madeira para que as crianças pudessem desfrutar de brincadeiras na natureza”. A criação de um cartão de sócio para usufruto do espaço de actividades para crianças/adultos (sessões de contos, apresentações de livros, aulas de ioga/pilates/Tai Chi, palestras, projecção de filmes, pequenos concertos) e/ou de um pequeno serviço de cafeteria também está prevista.

A concorrer a um montante global de 650 mil euros, a sair dos ‘cofres’ da autarquia estão ainda o ‘Jogo na Mesa”, com um valor estimado de 15 mil euros, um projecto de criação de “espaços de exercício cognitivo e ao mesmo tempo de convívio de populações cada vez mais fechadas em si”, com mesas e cadeiras no Parque de São João da Ponte, o Jardim da Avenida Central, o Largo da Carvalheiras e o Parque Desportivo da Rodovia.

OUTRAS PROPOSTAS

Já proposta denominada ‘Parque de Gerações’ (84.772,83 euros), aponta para a criação na envolvente da casa do Povo de Tadim de um local relvado de convívio inter-geracional com mesas e sombras; uma mini-biblioteca, um mini-auditório ao ar livre, um jardim vertical com plantas aromáticas, um ponto de distribuição de água e a instalação de um ponto Wi-fi de acesso livre.

O ‘Restauro do Edifício da Estufa do Parque da Ponte e da envolvente’ é outra proposta. A requalificação do edifício, “dando-lhe as condições necessárias a um serviço de melhor qualidade à comunidade”, é a intenção. Valor estimado: 85 mil euros.

Na área ‘Equipamentos’ surge igualmente a requalificação da ‘CASA do povo de TODOS’ que tem como objectivo requalificar o edifício Casa do Povo, melhorando as condições do ‘salão’ ao nível estrutural e ambiental, e a construção de outras áreas de apoio nomeadamente camarins, sanitários e áreas de actividades para que “se possa converter quase num auditório à dimensão local, multifuncional para todas as instituições da freguesia e para a cidade de Braga, parceira nesta caminhada do GUT” de Mire de Tibães, a associação preponente. Valor: 84 mil euros.

‘CreScHe a Brincar’, na União de Freguesias de Ferreiros e Gondizalves, tem por ideia criar, melhorar e ampliar estruturas que acolham bebés desde os primeiros meses de vida até aos 3 anos de idade. A   realizar no Centro Social da Paróquia de Ferreiros, a concretização deste projecto social “resultará no aumento de 30% da capacidade actual desta valência, e permitirá melhorar a qualidade da prestação do seu serviço com novos equipamentos promotores de um ambiente mais acolhedor, harmonioso e rico para o desenvolvimento integral da criança”. Valor: 85 mil euros.

Com um valor de 30.137,32 euros, a proposta ‘Gatil Comunitário e Centro de Adopção responsável’, em Gualtar, é uma das 10 apresentadas a ‘Equipamentos’.

“Este projecto não pretende substituir-se ao actual CRO, não seria um local de entrega de animais errantes, mas sim um centro de acolhimento que visa prioritariamente acolher animais dóceis abandonados, ou cujos tutores faleceram ou, ainda, aqueles cujos donos deixam de ter possibilidade de sustentar”, lê-se na proposta.

“A manifesta insuficiência das infraestruturas existentes para dar resposta ao acolhimento de animais domésticos abandonados na cidade de Braga, a juntar às recentes alterações legislativas que impõem o fim do abate indiscriminado dos animais pelos municípios”, é o argumento.