FRIO - Protecção Civil de Braga prolonga Plano de Contingência para sem abrigo até domingo

FRIO -
Protecção Civil de Braga prolonga Plano de Contingência para sem abrigo até domingo

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que prevê, entre esta segunda-feira e o próximo dia 16, a ocorrência de condições meteorológicas adversas, nomeadamente temperaturas mínimas entre os 0 e os -3º graus e formação de gelo ou geada nas regiões do norte e centro, prolongou o Plano de Contingência para os sem-abrigo até dia 13, sendo nesse dia reavaliada a necessidade de novo prolongamento.

Em função das condições meteorológicas previstas, é expectável, a Protecção Cvil de Braga avisa para os perigos de intoxicação por inalação de gases devido a inadequada ventilação com recurso a lareiras e braseiras; incêndio em habitações em resultado da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias eléctricas, e formação de gelo em troços de estradas com ensombramento permanente.

CONSELHOS

PUBLICIDADE

A Divisão Municipal de Protecção Civil recomenda à população que tome as necessárias medidas de prevenção e adopte comportamentos, nomeadamente a evitar exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura, envergar várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente; proteger as extremidades do corpo com gorro, cachecol, luvas e meias quentes, ingerir sopas e bebidas quentes e evitar o consumo de álcool, envergar vestuário adequado por parte de trabalhadores que exerçam actividades ao ar livre e evitar que exerçam esforços excessivos durante as tarefas que realizem.

É ainda aconselhado à tomada especial atenção aos aquecimentos com combustão (braseiras e lareiras), os quais podem causar intoxicação e conduzir à morte devido à acumulação de monóxido de carbono, assegurar a adequada ventilação das habitações, evitar o uso de dispositivos de aquecimento antes de dormir, cuidando de os desligar da corrente antes de deitar; adoptar uma condução defensiva e ter especial atenção aos locais da estrada susceptíveis de formação de gelo, atender aos familiares e vizinhos que possam necessitar de auxílio e apoio, nomeadamente pessoas mais idosas e em condições de maior isolamento, dedicar especial atenção aos grupos da população mais vulneráveis, como as crianças, idosos e as pessoas, portadoras de patologias crónicas, bem como os sem-abrigo; Finalmente é aconselhado estar atento às informações da meteorologia e aos conselhos e recomendações da Protecção Civil e Forças de Segurança.