REGIÃO -
PS de Guimarães “preocupado” com demora na emissão de declarações de isolamento profiláctico

O PS está “preocupado” com a demora na emissão e declarações de isolamento profiláctico, situação que “tem contribuído para diminuição de rendimentos das famílias que sem a declaração ficam impedidos de requerer o apoio da Segurança Social”.

Em comunicado desta quinta-feira, o presidente da Concelhia socialista de Guimarães afirma que tem recebido informações a dar conta de “situações quem foi determinado o isolamento profiláctico de 14 dias, cujo contacto das autoridades de saúde é feito além desse período, bem como a emissão da respectiva declaração de isolamento que serve de comprovativo para justificar a ausência ao trabalho e requerer o apoio da Segurança Social. 

Luís Soares adianta que “este atraso está a provocar quebras no rendimento e dificuldades às famílias”.

PUBLICIDADE

A queixa do líder vimaranense do PS surge após uma reuniu com a direcção do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Alto Ave em Guimarães, com vista a se inteirar da forma como se estão a organizar para responder “ao enorme desafio do aumento do número de casos positivos no concelho” e “às dificuldades sentidas pela população, nomeadamente na obtenção de declarações de isolamento profiláctico e de prescrição de testes”.

De acordo com Luís Soares, o ACES do Alto Ave informou a delegação socialista que “está em curso uma nova forma mais automatizada e ágil, de envio de declarações de isolamento profiláctico que permitirá a resolução de todas as declarações que estão ainda pendentes até ao final desta semana, ficando esta dificuldade, que é muito sentida pelas pessoas, normalizada na próxima semana”.

Já no que respeita à prescrição dos testes para os utentes considerados como contacto de risco, o ACES do Alto Ave assegurou que “estão a ser cumpridas a norma da DGS que define que a prescrição de testes está a ser enviada até 7 a 8 dias após a ocorrência do contacto”.