PAÍS -
Quase metade dos portugueses duvidam do fim das restrições na altura das férias

Se as férias de 2020 foram pautadas por muitas restrições, as férias de 2021 têm como palavra de ordem “incerteza”, segundo inquérito divulgado pela Marketeer.

O inquérito, realizado pela plataforma online Fixando, mostra que a pandemia da covid-19-19 paira sobre os possíveis planos dos portugueses e que nem a vacina veio acalmar as dúvidas: 43% sente-se mesmo pouco confiante quanto ao fim das restrições na altura das férias.

Além disso, 54% não acredita que venha a ser possível participar em eventos ou festivais de Verão/espectáculos culturais nos moldes pré-pandemia.

PUBLICIDADE

O mesmo inquérito indica que 61% dos inquiridos transitou, em média, sete dias de férias para 2020. Quanto à data para indicar as férias deste ano à entidade patronal, 38% não sabe quando isso será e 14% pretende fazê-lo o mais rapidamente possível: 11% já este mês, 13% entre Fevereiro e Março e 24% depois de Abril.

Dos inquiridos, 46% espera tirar férias entre Julho e Setembro e 9% aponta para o período entre Janeiro e Março. Mas o que irão fazer com os dias de descanso? 25% quer viajar dentro de Portugal, o que, segundo a Fixando, poderá ajudar a reerguer a economia do turismo e da restauração. Por outro lado, 14% espera ter a possibilidade de viajar para o estrangeiro.

A Fixando revela ainda que os portugueses estimam gastar, em média, 698 euros em férias este ano. Trata-se de um valor superior em 100 euros face a 2020.