AMARES - Relatório de Contas de 2018 revela «boa saúde financeira e capacidade em arrecadar receita e concretizar investimento»

AMARES -
Relatório de Contas de 2018 revela «boa saúde financeira e capacidade em arrecadar receita e concretizar investimento»

O executivo municipal de Amares apreciou, esta semana, o relatório de contas referente ao ano 2018. Em comunicado enviado, o Presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, destaca que o documento revela «boa saúde financeira e a capacidade crescente da Câmara Municipal de Amares arrecadar receita e concretizar investimento».

O relatório foi aprovado por maioria, com um voto contra e uma abstenção por parte dos vereadores da oposição.

«A boa saúde financeira do município está reflectida quer ao nível do resultado líquido positivo, que aumentou cerca de 250 mil euros em relação ao período de 2017, quer na existência de fundos disponíveis positivos em todos os meses do ano, quer, ainda, ao nível do aumento generalizado de todas as rubricas de rendimentos», sublinha Manuel Moreira.

PUBLICIDADE

RELATÓRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

De acordo com o Relatório de Prestação de Contas da Câmara Municipal de Amares, a «taxa de execução da despesa do Município, em 2018, situou-se nos 90% e a execução da receita nos 87%, sendo o valor bruto de execução da receita e da despesa o maior dos últimos anos. Em termos de receita registaram-se 14,5 milhões de euros, comparativamente com 13 milhões em 2017 e 12 milhões em 2016. Na despesa de assinalaram-se 15 milhões, comparativamente com os 13,5 milhões em 2017 e 12 milhões em 2016», pode ler-se no mesmo comunicado.

A autarquia acrescenta ainda que «apesar da execução física dos fundos comunitários ter ficado abaixo da previsão inicial, a despesa de capital executada cresceu significativamente em termos absolutos. Relativamente ao ano 2017, há um crescimento de cerca de 57%, traduzido em mais 1,8 milhões de euros executados em obras financiadas. Verificou-se, ainda, um crescimento de investimento em bens de capital para realização de obras um pouco por todo o concelho».

«Em termos patrimoniais, o Município passou de um resultado líquido negativo de 127 mil euros, em 2017, para um resultado líquido positivo de 124 mil euros, continuando a recuperação enorme ao nível do resultado líquido, que, em 2016, se situava num valor negativo de 1 milhão e trezentos mil euros», apontam.

As Grandes Opções Estratégicas recaíram nas funções sociais que «absorveram 61% do valor total, com destaque para a Educação, com verbas na ordem dos 2,5 milhões de euros, e o saneamento com verbas na ordem de 1,7 milhões de euros», salientam.

Segundo a autarquia, «a dívida continua a baixar, registando menos meio milhão de euros, comparativamente com o ano 2017».