REGIÃO - Requalificação da rede de passeios avança na Póvoa de Lanhoso

REGIÃO -
Requalificação da rede de passeios avança na Póvoa de Lanhoso

Continuam a decorrer os trabalhos de requalificação de passeios na vila da Póvoa de Lanhoso, no âmbito de uma estratégia de regeneração urbana. “A revitalização e reorganização das nossas redes pedonais era uma necessidade. Algumas destas intervenções já estão concluídas e já se percebe que melhoraram a mobilidade e as acessibilidades aos povoenses”, refere o Presidente da Câmara, Avelino Silva, citado pela Autarquia.

“O concelho está em movimento com um grande conjunto de obras. Uma grande parte está a ser realizada na vila, pois os fundos comunitários disponíveis privilegiaram a regeneração urbana. Não podíamos desperdiçar esta oportunidade e, por isso, estamos a melhorar a sala de visitas do concelho, onde todos usufruem de melhores condições, quer através da melhoria dos passeios, da ampliação do Parque do Pontido, da requalificação da Praça Eng. Armando Rodrigues e da requalificação há muito desejada do largo da feira semanal”, refere o autarca.

No âmbito do projeto de “Requalificação das redes pedonais na Vila da Póvoa de Lanhoso” são 11 as artérias centrais abrangidas: Rua Dr. Manuel Ferreira; Rua Capitão Tinoco Faria; Rua Luís de Camões; Rua Dr. Gonçalo Sampaio; Rua 1.º de Maio; Rua da Misericórdia; Rua Dr. Francisco Sá Carneiro; Rua António Francês; Avenida dos Bombeiros Voluntários; Rua Dr. Avelino Pereira de Carvalho; e Rua Martim Moni. São objetivos do plano os de “incentivar a que as pessoas andem mais a pé e assegurar que podem fazer esses trajetos com mais facilidade, segurança e conforto. Estas intervenções visam ainda contribuir para a redução da emissão de gases com efeito de estufa”.

PUBLICIDADE

A iniciativa é do Município mas cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte – NORTE 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, que conta com um investimento elegível de 582 mil euros, ao qual corresponde a comparticipação comunitária de 85% no valor de 494 mil.