AMBIENTE -
Reutilização de esgoto tratado “é absolutamente fundamental”, diz ministro

O ministro do Ambiente e da Acção Climática anunciou, em Braga, o lançamento de um concurso “absolutamente pioneiro em Portugal” para reutilização das águas residuais tratadas e defendeu ser “absolutamente fundamental” que o país seja capaz de reutilizar o esgoto tratado.

João Pedro Matos Fernandes referia-se à publicação do aviso-convite – POSEUR 12-2020-08, que viabiliza a construção da nova ETAR de Braga, traduzindo-se num investimento total de aproximadamente 21 milhões de euros, com um financiamento de 9 milhões.

PUBLICIDADE

“As 50 maiores ETAR do país, e esta que vai ser feita é uma delas, têm uma enorme capacidade de tratamento”, enfatizou.

Trata-se de um investimento que a AGERE e o município de Braga têm como prioritário (tendo iniciado este processo em 2015) permite aumentar a resiliência do sistema, bem como o reforço substancial da capacidade de tratamento instalada, e ainda pela divisão dos caudais de descarga em duas bacias, mantendo-se, no entanto, a interligação entre os sistemas, permitindo corrigir definitivamente os problemas actuais existentes.

O principal objectivo do investimento a realizar consiste no reforço do sistema de tratamento de Águas Residuais do concelho, o que só será conseguido com a construção da nova ETAR de Vale de Este, que drenará para uma outra bacia, a bacia hidrográfica do rio Ave, e terá capacidade de tratamento dos efluentes de cerca de 180.000 habitantes equivalentes, e assim elimina as actuais descargas indevidas, constituindo em conjunto com a ETAR de Frossos, a garantia de capacidade de tratamento e de descarga necessárias para o cumprimento da Directiva Águas Residuais Urbanas no respectivo sistema.

“Nós podemos produzir electricidade a partir de fontes renováveis, sem causar qualquer mal ao planeta, mas não conseguimos produzir água, a água que temos hoje é a água que tínhamos quando a terra foi terra”, sublinhou o ministro.