AMARES: S. Vicente do Bico: Busto inaugurado em noite de homenagem ao padre Joaquim Gomes da Costa

AMARES:
S. Vicente do Bico: Busto inaugurado em noite de homenagem ao padre Joaquim Gomes da Costa

O padre que «influenciou várias gerações» nos cinquenta anos que serviu a paróquia de S. Vicente do Bico, do arciprestado de Amares, foi homenageado esta noite pela freguesia, numa cerimónia marcada pela inauguração de um busto / monumento que perpetua «um professor respeitado e ouvido por todos e um pastor que conhecia bem as suas ovelhas», como fez questão de vincar o presidente da câmara de Amares, Manuel Moreira, que o conheceu na dupla função. A morte do padre Joaquim Gomes da Costa, a 03 de abril deste ano, abalou a comunidade local, mais «o mais importante é o que continua a representar para todos nós… a semente vai ainda frutificar durante muito tempo», vincou o recém-nomeado arcipreste de Amares, o padre Serafim Fernandes, também presente na homenagem promovida pela junta de freguesia local.

«Este é um dia especial para todos nós, de homenagem a alguém que nos fez felizes, pois são poucos os que não terão uma passagem feliz com o padre Joaquim, uma pessoa que contribuiu para a felicidade de muitos», começou por assinalar o presidente de junta de S. Vicente do Bico, Fernando Soares.

PUBLICIDADE

Numa cerimónia que se iniciou com a celebração de uma eucaristia solene e que prosseguiu com a inauguração do busto / monumento ao sacerdote que era “figura de proa” de uma das mais carismáticas celebrações pascais do Minho e do País, a travessia de barco do compasso pascal pelo Rio Homem. «Foi a Páscoa mais triste dos últimos anos», verificou o autarca do Bico, a quem o padre Joaquim deixou «conselhos que não esquecerei».

LARGO DA IGREJA É AGORA LARGO PADRE JOAQUIM
Numa cerimónia emotiva, coube ao autarca de S. Vicente do Bico anunciar que, «a partir de hoje, o largo da Igreja passará a chamar-se Largo Padre Joaquim Gomes da Costa».
O presidente da câmara de Amares, Manuel Moreira, que conheceu o sacerdote «antes da política, enquanto professor», mencionou o homem «culto, bom amigo, um homem com quem aprendi muito, uma pessoa de forte carácter, um professor respeitado e ouvido por todos, para além de um pastor que conhecia bem as suas ovelhas».
Daí ter destacado que «esta é uma homenagem justa», tendo vincado «a coragem e ousadia da junta de freguesia». Deixou ainda uma palavra de apreço aos “arquitectos” da obra, «o arquitecto Hugo, de Fiscal, e o engenheiro Pedro, de Caldelas. assim como o autor do busto, o credenciado escultor vilaverdense Maciel Cardeira.
Coube ao novel arcipreste de Amares, o padre Serafim Fernandes, manifestar «o apreço,  o respeito e o reconhecimento ao padre Joaquim» manifestado pelo arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, que enviou uma mensagem. O prelado mencionou mesmo que o sacerdote agora homenageado «foi um verdadeiro missionário do arciprestado de Amares».
O arcipreste juntou a sua mensagem pessoal: «foi um homem de grande personalidade, fé,  empenho, generosidade,  sempre disponível… constatei o amor deste povo pelo padre Joaquim. O mais importante é o que continua a representar para todos nós… a semente vai ainda frutificar durante muito tempo!».