BRAGA -
Só com o combate à desinformação e aos mitos sobre a covid-19 é possível travar a pandemia, diz Altino Bessa 

O presidente da Concelhia de Braga do CDS-PP defende que só com acções de sensibilização dirigidas a toda a comunidade é possível combater a desinformação, os mitos associados à covid-19 e travar a pandemia.

Apontando como exemplo a seguir a campanha de sensibilização sobre novos comportamentos sociais no âmbito da covid-19 promovida pela Protecção Civil Municipal, em parceria com a Escola de Medicina da Universidade do Minho, ACES Cávado I – Braga e a Cruz Vermelha, Altino Bessa frisa que com estas iniciativas” Braga previne futuras propagações” a partir da transmissão de “uma mensagem simples, intuitiva e transversal a toda a população sobre os gestos preventivos e de combate a esta crise epidémica, é possível travar a propagação do vírus”.

“Vejamos o que está a acontecer noutros locais do país, onde, recentemente, têm surgido novos focos infecciosos. O objectivo desta acção é precisamente evitar um cenário idêntico em Braga”, afirma em nota ao PressMinho,

PUBLICIDADE

“É imperativo combater a desinformação e transmitir dados correctos recolhidos junto de fontes fidedignas”, vinca o líder da concelhia centrista.

“Estas acções de rua são também uma oportunidade para combater mitos e esclarecer a população, para que esta possa estar devidamente informada e mais facilmente adopte os cuidados e comportamentos adequados para prevenir o contágio e a propagação do vírus e da doença”, acrescenta.

Bessa salienta que o leque de parcerias envolvidas naquela acção “permitiu ter no terreno uma equipa com know how para desbravar a desinformação existente no terreno”, destacando o envolvimento dos alunos da Escola de Medicina da Universidade do Minho.

“É a partir destas actuações práticas que conhecem o terreno e despertam para realidades distintas, contribuindo, assim, para a sua formação. As campanhas de sensibilização não passam apenas pelos folhetos informativos”, sustenta o também vereador da Protecção Civil, frisando que “é preciso sair à rua e estar verdadeiramente com as pessoas, de modo a conhecer as dúvidas, identificar os problemas e arranjar soluções”.

Referindo-se a Braga, afirma que o município “tem feito um trabalho meritório na proximidade com a população e prova disso foi a forma como, juntos, combatemos a fase mais crítica da pandemia”, lembrando que o “levantamento das restrições aumenta ainda mais a responsabilidade individual e colectiva”.

“O vírus circula na comunidade, e esta nova fase exige de cada cidadão um rigor acrescido no cumprimento das medidas preventivas e de Saúde Pública sendo, por isso, assaz importante que se desencadeiem dinâmicas de sensibilização que possam chegar aos avós, aos pais, aos filhos”, alerta Bessa.