ATÉ AO FIM DO MÊS -
Trabalho da “Missão Amar (es)” em exposição na Galeria de Artes e Ofícios

A Galeria de Artes e Ofícios, na Praça do Comércio, acolhe, até ao final deste mês Junho, a exposição “Missão Amar (es) – um projecto, uma proposta de vida”. Este é um testemunho fotográfico que retrata algumas das vivências do trabalho de voluntariado nas províncias de Maputo e Chibuto, em Moçambique, levado a cabo pelo projecto do Clube de Solidariedade da Escola Secundária de Amares e coordenado pelo professor Bernardino Silva.

Na inauguração da exposição, o vice-presidente da Câmara Municipal de Amares, Isidro Araújo, manifestou publicamente o «carinho e admiração» que este projecto merece,.

PUBLICIDADE

Sublinhou a importância de chamar a atenção para esta realidade que são as condições de vida, saúde, habitação e formação que existem em variados contextos como este que tem sido apadrinhado por Amares.

«O professor Dino dedicou toda uma vida a esta nobre causa envolvendo uma série de pessoas e esta de parabéns ele e todos aqueles quantos dão de si a esta causa», destacou.

Já a directora do Agrupamento de Escolas de Amares, Flora Monteiro, lembrou que, inicialmente, quando Bernardino Silva  falava em voluntariado achava “«um pouco utópico», mas que «estas acções foram crescendo e ganhando uma dimensão tal que prova que é importante lutar por aquilo em que se acredita».

«Esta exposição é fundamental, há situações que são chocantes mas que são reais e, neste sentido, é importante dar a conhecer um pouco à comunidade essas mesmas situações, sensibilizando-as para outros contextos bem diferentes», acrescentou.

Construção de casas, apoio nos hospitais, formações de higiene, saúde oral, primeiros socorros, lavagem nasal, aleitamento materno e acções de educação são apenas algumas das iniciativas promovidas pela “Missão Amar (es) ”, fruto da intenção «de formar através de uma escola homens e mulheres e ajudá-los a construir uma identidade pautada no bem comum», conforme explicou Bernardino Silva.

Quanto à exposição, o coordenador do projeto sublinha que «mais que um conjunto de fotos é uma justificação, uma prova de que vale a pena formar pessoas e apoiar este género de projectos».

«Sem o apoio que temos tido por parte do Município, de várias entidades, empresas e particulares não conseguiríamos levar avante estas ações e por isso agradeço a todos os amarenses que têm acarinhado a nossa missão», destacou.

Este ano, a “Missão Amar(es)” vai enfrentar um novo desafio de voluntariado internacional, partindo novamente rumo a Mavalane e Chibuto, em Moçambique.