REGIÃO -
Uma dezena de ‘nómadas digitais’ passaram pelo Remote Tour de Esposende

Esposende recebeu a primeira Remote Tour Portugal, iniciativa que pretendeu mostrar o melhor que o trabalho remoto tem para oferecer: a liberdade de poder viajar sem deixar de trabalhar. Na iniciativa participaram mais de uma dezena de ‘nómadas digitais’.

A START Esposende foi o local escolhido para trabalhar e assistir a workshops mas os inícios e finais de dias foram dedicados a explorar o concelho de Esposende e aos vários desportos que aqui se podem praticar.

PUBLICIDADE

Tendo o respeito pela actividade profissional como prioridade, durante esta semana, os 11 ‘nómadas digitais’ que integraram a I Remote Tour tiveram acesso a condições de trabalho, podendo usufruir de todas as potencialidades que o concelho tem para oferecer.

“A iniciativa promoveu o trabalho remoto e mostrou que Esposende tem condições para acompanhar esta tendência”, afirma a autarquia em nota à imprensa.

Os participantes tiveram oportunidade de navegar no rio Cávado, na barca da Proriver, ocasião em que experienciaram alguns produtos da região, complementando o conhecimento do território, com passeios de bicicleta cedidas pela Propedal Esposende, mergulhando nas piscinas Foz do Cávado e percorrendo os passadiços junto ao rio.

Na START Esposende, os participantes tiveram oportunidade de falar sobre sustentabilidade com a Cláudia Bermudes, uma das incubadas da START, em representação da Círculo+, e de desenvolver as suas técnicas sobre Pitch num workshop promovido e dinamizado pela START Esposende.

“Em jeito de balanço, os participantes destacaram as excelentes condições naturais e geográficas de Esposende, às quais surge agora associada a oferta de um espaço ambivalente como a START Esposende que responde à necessidade associada ao trabalho de quem opta por um estilo de vida nómada digital”, refere a mesma nota.