OPINIÃO - A relevância do nosso pensamento

OPINIÃO -
A relevância do nosso pensamento

Segundo Sigmund Freud “O pensamento é o ensaio da ação“ neste sentido, tudo o que imaginamos, idealizamos e projetamos no nosso pensamento será como um que um ensaio, encenação ou uma iluminação daquilo que poderá ser a ação, atitude ou a prática da sua realização. Neste sentido, podemos e devemos reprogramar a mente, plantando ideias, cenários, mapas mentais positivos, catalisadores e impulsionadores de atitudes, hábitos e comportamentos congruentes com o pensamento e geradores de satisfação e realização pessoal.

Do pensamento de Walt Disney podemos extrair a seguinte frase “se você consegue sonhar algo, consegue realizá-lo!”. Assim, podemos por em causa este pensamento e dizer, se assim fosse, seria facilmente alcançado tudo o que penso, todavia, existe algo extremamente importante, a prática congruente com o pensamento e com uma dose de atitude, resiliência, desejo, persistência e compromisso com nós mesmos, pois, teoria sem prática será como entrar num restaurante e satisfazer-se apenas lendo e saboreando o menu, com a descrição pormenorizada dos pratos, mas sem saborear, sentir e de gostar os alimentos.

Podemos dizer, por outro lado que tudo isto são teorias, são ideias sem conexão com a realidade e que o sistema, a sociedade, o meio envolvente, os outros ou o sistema e que somos mais o fruto das circunstâncias, tal como afirma, José Ortega y Gasset “o homem é o homem e suas circunstâncias”. Neste sentido, podemos refletir sobre a relevância das circunstâncias e sobre as quais, temos que nos adaptar às mesmas, procurando transformar, ameaças em oportunidades, e isso depende de nós, depende do nosso pensamento e da nossa capacidade de pensar, planear, implementar e comunicar tudo isto por forma, a levar os outros a pensar como nós e a juntarem-se aos nossos ideais e projetos.

PUBLICIDADE

Segundo Confúcio “você não pode mudar o vento, mas pode ajustar as velas do barco para chegar onde quer”. Nesta perspetiva, não podendo mudar as circunstâncias, as adversidades, as contrariedades e os obstáculos que de forma mais ou menos inesperada ou até descontrolada nos surgem por vezes, de forma mais leve outras mais forte, sem que estejamos preparados para estes “embates”, todavia, podemos sempre, com calma, serenidade, habilidade e sabedoria, alinhar, redefinir e reprojetar o nosso pensamento, pois no momento ou circunstância em que nada temos, temos sempre algo verdadeiramente importante e estruturalmente relevante que é o nosso pensamento.