OPINIÃO –
Águas Balneares

Por Helena Nascimento
Médica de Saúde Pública do ACeS Gerês-Cabreira

As águas balneares são águas superficiais quer sejam interiores,costeiras ou de transição, em que se preveja um grande número de banhistas e onde a prática balnear não tenha sido interdita ou desaconselhada de modo permanente.

A época balnear tem duração distinta a nível nacional em função do período em que se prevê uma grande afluência de banhistas tendo em conta as condições climatéricas, as caraterísticas geofísicas, os interesses sociais ou ambientais próprios da localização de cada uma, mas usualmente é fixada entre 1 de Junho a 30 de Setembro de cada ano.

PUBLICIDADE

Para cada água balnear é estabelecido, antes do início de cada época, um programa de monotorização da qualidade da água através da realização de análises, observação do meio circundante e estruturas de apoio, numa perspetiva de prevenção do risco para a saúde dos seus frequentadores e cujos resultados vão sendo disponibilizados ao público. No caso de se verificarem resultados que se justifiquem,são emitidos alertas à população, bem como aos órgãos do poder local.

A USP (Unidade de Saúde Pública) do ACeS Gerês Cabreira integra no seu programa de vigilância sanitária de zonas balneares, onze zonas pertencentes aos cinco concelhos que pertencem ao ACeS e das quais apenas cinco são consideradas águas balneares identificadas pela APA (Agência Portuguesa do Ambiente). Este programa contempla colheitas de água para análise microbiológica para pesquisa dos parâmetros Escherichia Coli, Enterococcus e Salmonella (organismos todos eles capazes de causar doenças ao Homem quando presentes em número superior aos valores laboratoriais de referência), avaliação visual de presença de cianobactérias, avaliação das zonas envolventes e das instalações de apoio, bem como divulgação de informação ao público.

Todas estas ações são desenvolvidas pelos médicos de Saúde Pública e Técnicos de Saúde Ambiental da USP com o apoio do Laboratório Regional de Saúde Pública. Tendo em conta o que anteriormente foi dito, mantenha-se informado e esteja atento aos avisos que obrigatoriamente têm de estar disponíveis no local para consulta e informação dos frequentadores das zonas balneares. Nós zelamos pelo seu bem-estar e saúde mas o elemento mais importante é sempre o utilizador destes espaços.

Bibliografia:
*DGS (Direção Geral da Saúde-normas de vigilância das águas balneares);
*Programa de Vigilância Sanitária das Zonas Balneares da USP do ACeS Gerês Cabreira;
*Atlas da Saúde – APA.