REGIÃO – Associação Cidadãos de Esposende quer incentivos à natalidade entre mil e 3. 000 mil euros

REGIÃO –
Associação Cidadãos de Esposende quer incentivos à natalidade entre mil e 3. 000 mil euros

A Associação Cidadãos de Esposende pede à Câmara Municipal apoios entre os mil e três mil euros para as famílias para incentivar a natalidade.

Na proposta a Benjamim Pereira, presidente do município, a associação avança com incentivos monetários de 1.000 euros, para o primeiro filho, 1 500, para o segundo filho, 2 000, para o terceiro filho e  3.000, para o quarto filho e seguintes.

PUBLICIDADE

Estes são os valores que a associação considera “essenciais para a fixação e melhoria das condições de vida de jovens famílias e dos recém-nascidos, e impulsionar a economia local – princípios fundamentais para a formação de uma comunidade mais justa, solidária e para a criação de um território socialmente mais apelativo para viver, residir e trabalhar”.

Para os responsáveis da associação, “é preciso investir na fixação das famílias em Esposende e ir ao encontro do que muitas outras cidades fazem para que os residentes não abandonem os seus concelhos.

Na proposta enviada a Benjamim Pereira, é ainda sugerido que 50% do valor recebido seja gasto no comércio local.” Desta forma, não são apenas as famílias a beneficiar do apoio mas todo o concelho, já que as compras para os bebés seriam feitas em lojas de Esposende com o consequente impacto positivo na economia local”, sustenta.

“Hoje vemos concelhos por todo o país com incentivos à natalidade e os resultados positivos que se verificam são suficientes para sustentar o pedido de apoio para as famílias de Esposende”, refere a Cidadãos de Esposende, defendo que o apoio “dará um maior conforto e permitirá que os custos com os primeiros meses do bebé sejam encarados com maior optimismo”.

A associação lembra que Portugal regista uma das taxas mais baixas da União Europeia a que nascimento se refere. Para contrariar esta tendência o governo lançou várias iniciativas. No entanto, são as autarquias a fazer a diferença com os apoios extra como os que pede a associação para os residentes.