TERRAS DE BOURO -
Banco Local de Voluntariado de Terras de Bouro com recolha solidária de alimentos durante o mês de Maio

O Projecto CLDS 4GEIRA – Gerações, Emprego, Inclusão e Revitalização de atividades no Concelho de Terras de Bouro, sob a coordenação da ATAHCA criou, em parceria com o Gabinete de Ação Social da Câmara Municipal de Terras de Bouro, o “GEIRA MAIS PRÓXIMA – Banco Local de Voluntariado de Terras de Bouro”.

Em comunicado, pode ler-se que a iniciativa vem «responder a um desejo antigo de constituir um grupo de trabalho activo e mobilizador, mais próximo da comunidade local e atento às necessidades mais prementes da população». 

«Constituindo-se como uma das ações obrigatórias do Eixo III de intervenção do CLDS 4GEIRA, designadamente a Promoção do envelhecimento activo e apoio à população idosa – o Banco Local de Voluntariado reveste-se, neste período de emergência social, de uma importância acrescida pelo papel que deterá no apoio à comunidade terrabourense».

PUBLICIDADE

“GEIRA MAS PRÓXIMA”

Durante o mês de Maio, o “GEIRA MAIS PRÓXIMA” leva a cabo a sua 1ª iniciativa solidária – uma campanha de Recolha de Bens Alimentares – Ajude quem Precisa! Um pequeno gesto que pode fazer toda a diferença. 

A iniciativa tem como parceiros a Associação Núcleo Rio Homem, as Delegações da Cruz Vermelha – Terras de Bouro, Rio Caldo e Gerês e os Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro.

O desafio foi lançado a diferentes comerciantes terrabourenses, numa mobilização concelhia que conta com cerca de 14 superfícies comerciais aderentes: Meu Super Rio Caldo, Supermercado Gerês – Amanhecer, Supermercado Doce Gerês, Intermarché de Terras de Bouro (15 e 30 de Maio), Casa Melo, Casa Paula, Cooperativa Agrícola de Valdosende, Loja do Galego, Mercado Vilela, Casa Eiras, Minimercado Brito, Minimercado Montanha, Minimercado Portela e Supermercado Frescos & Cª de Souto. 

Em todos estes locais, assim como nas sedes das Delegações da Cruz Vermelha e dos Bombeiros Voluntários, poderão ser doados bens alimentares de primeira necessidade, não perecíveis, que posteriormente serão distribuídos pelas famílias concelhias que apresentem maiores fragilidades.