POLÍTICA

POLÍTICA -
BE “lamenta profundamente” recusa do PS para audição de Pizarro na AR sobre encerramento de maternidade de Famalicão

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Bloco de Esquerda (BE) “lamenta profundamente” que o PS tenha inviabilizado o pedido do Bloco para que o ministro da Saúde fosse ao Parlamento prestar esclarecimentos sobre a possibilidade de encerramento de maternidades e urgências de obstetrícia/ginecologia no Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente a do Hospital de Famalicão.

Lembrado em comunicado que todos os partidos votaram a favor da audição, excepto os socialistas, o Bloco pretendia ouvir Manuel Pizarro sobre o relatório elaborado pela Comissão de Acompanhamento, coordenada por Diogo Ayres de Campos, onde estaria previsto o encerramento, por exemplo, da maternidade do Hospital de Famalicão.

O BE recorda ainda que, questionado sobre o assunto, Diogo Ayres de Campos, não só admitiu esta possibilidade como reconheceu o encerramento de outras maternidades, afirmando que “todo o problema tem a ver com os recursos, se não houvesse dificuldades com os recursos, provavelmente não estávamos a pensar em sugerir, concentrar esses mesmos recursos”.

PUBLICIDADE

No requerimento entregue no Parlamento, o Bloco lembra que “a situação de falta de profissionais na área de obstetrícia e ginecologia não é nova e o Governo nada fez para melhorar a situação simplesmente porque não quis”.

. As carreiras não serão melhoradas com encerramentos. E, mais importante do que tudo, a prestação de cuidados à população não melhora quando se encerram serviços. Muito menos a acessibilidade”, sustentam os bloquista.

Para esclarecer esta situação, o Bloco considerava “fundamental” a audição de Manuel Pizarro na Assembleia da República, que o PS rejeitou.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS