AMARES -
Bombeiros de Amares admitem dificuldades financeiras e pedem ajuda para pagar vencimentos

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Amares «vive actualmente com uma dificuldade financeira acrescida» por força da pandemia Covid-19, o que faz com que não consiga garantir os vencimentos, com os respectivos subsídios de férias e de Natal, até ao final do ano.

Numa publicação no “Facebook”, subscrita pela Direcção e pelo comando, a corporação agradece os donativos que tem recebido, nomeadamente das Juntas de Freguesia do concelho, apelando a que outras autarquias possam fazer o mesmo.

PUBLICIDADE

Os Bombeiros agradecem publicamente os donativos monetários feitos pelas Juntas de Freguesia de Bico, Carrazedo, Fiscal, Rendufe e pelas Uniões de Freguesias de Ferreiros, Prozelo e Besteiros e Vilela, Seramil e Paredes Secas.

«Em tempos difíceis, em que muitas famílias e entidades passam por dificuldades, com estas contribuições, mais do que valor monetário, recebemos a compreensão, a solidariedade e o respeito pelos nossos Bombeiros que diariamente vivem lado a lado com este vírus que nos assombrou», refere.

Na publicação, a Direcção e o comando lembram que devido à pandemia Covid-19 e à consequente paragem dos transportes de doentes para tratamentos diários, «esta Associação vive actualmente com uma dificuldade financeira acrescida».

«No entanto, mesmo com a suspensão destes transportes, mantemos igualmente todos os funcionários, pois qualquer situação de risco de vida ou bens, sejam eles, doenças súbitas, acidentes ou incêndios pode surgir a qualquer momento. Para dificultar ainda mais, os custos com os equipamentos de protecção para os nossos operacionais dispararam para valores exorbitantes, o que nos colocou em situação de não conseguir garantir os vencimentos com os respectivos subsídios de férias e de natal até ao final do ano», refere.

A corporação lembra que, «mesmo com todas as dificuldades enunciadas», continuou «na luta dos incêndios florestais, da resposta a todas as chamadas de emergência e ainda no abastecimento de água aos depósitos municipais».

«Perante este quadro, apelamos às restantes Juntas de Freguesias do concelho e as todas entidades que assim o entendam a deliberação de um subsídio extraordinário a este corpo de bombeiros», apela.