BRAGA –
Braga avança com novo concurso para assistentes operacionais nas escolas

A Câmara de Braga vai avançar com um novo concurso para a admissão de assistentes operacionais para as escolas do concelho. A garantia foi dada por Ricardo Rio durante a sessão de abertura do ano lectivo 2019/2020, que juntou esta sexta-feira cerca de 450 agentes educativos em funções nos diversos estabelecimentos de ensino do concelho.

“O município tem reforçado o quadro de assistentes operacionais, com recurso à bolsa de recrutamento. Dos cerca de 600 colaboradores nestas funções, 120 foram contratados nestes últimos dois anos e, actualmente, têm um vínculo permanente com a Câmara. Essa bolsa de recrutamento está quase a terminar o prazo legal, por isso, vamos lançar brevemente um novo procedimento concursal para repor a capacidade de intervenção do município nesta área tão importante na sociedade”, adiantou o presidente da autarquia.

PUBLICIDADE

Na sessão, que decorreu no Altice Forum Braga, o autarca explicou que o município tem recorrido à bolsa de recrutamento para fazer face às necessidades que vão surgindo, como reformas ou mudanças de carreira.

“Quando o anterior concurso foi aberto, o objectivo era contratar 14 profissionais. À medida que foi sendo necessário, fomos substituindo de uma forma muito célere cada um dos recursos que iam saindo de forma a minorar os impactos dessas alterações e, entretanto, já foram contratados 120”, salientou Ricardo Rio.

A vereadora da Educação, realçou que para o início de mais um ano lectivo, “umas das palavras de ordem é compromisso”, no sentido de se trabalhar diariamente com o “objectivo de reunir sempre as melhores condições para que em Braga a Educação seja cada vez mais de excelência”.

“Os agentes educativos são um dos principais motores de funcionamento dos estabelecimentos de ensino do concelho, orientando-se, diariamente, para o apoio a alunos, docentes e encarregados de educação, no desenvolvimento do projecto educativo dos seus Agrupamentos de Escolas”, referiu Lídia Dias, lembrando que a autarquia tem acautelado a baixa de pessoal não docente “através de uma movimentação positiva de recursos humanos e os dados hoje apresentados são reveladores de uma estratégia que passa pela antecipação de problemas de forma a serem resolvidos de forma célere e eficaz”.