SANEAMENTOCâmaras de Terras de Bouro, Amares e Vila Verde contra construção de nova ETAR em Souto

SANEAMENTO
Câmaras de Terras de Bouro, Amares e Vila Verde contra construção de nova ETAR em Souto

Os presidentes das Câmaras Municipais de Terras de Bouro, Amares e Vila Verde manifestaram, esta quinta-feira, «total discordância» com o projecto de construção de uma nova estação de tratamento de águas residuais (ETAR), na margem do Rio Homem, na freguesia de Souto, em Terras de Bouro.

«O projecto, que é defendido pela “Águas do Norte”, vem contrariar todo o plano de tratamento de águas residuais que está programado e em implementação para o território do Vale do Homem nos três Municípios, para além de representar um atentado aos projectos de valorização ambiental das margens do rio Homem», defendem os autarcas.

O comunicado conjunto, remetido às redacções pela autarquia terrabourense, surge no seguimento de uma reunião, realizada esta quinta-feira, com a presença dos três presidentes de Câmara do Vale do Homem: Manuel Tibo (Terras de Bouro), Manuel Moreira (Amares) e António Vilela (Vila Verde).

«A tomada de posição dos três Municípios prende-se com o facto de as Águas do Norte não cumprir com o estipulado inicialmente, que passava por ligar directamente os efluentes provenientes de várias freguesias de Terras de Bouro, Amares e Vila Verde à estação de Tratamentos de Águas Residuais do Cávado-Homem, em Cabanelas, concelho de Vila Verde – inaugurada em Junho de 2014», referem.

Segundo os autarcas, a ETAR de Cabanelas «permite solucionar o saneamento em alta, servindo os concelhos de Vila Verde, Amares e uma parte de Terras de Bouro».

Lembram que «investimento rondou os oito milhões de euros e foi destinado a servir uma população de cerca de 50 mil habitantes dos três concelhos, à qual corresponde um caudal médio de cerca de 7.617 m3/dia».

«Com a construção da ETAR do Cávado-Homem, os Municípios de Amares, de Terras de Bouro e de Vila Verde pretendem que os efluentes provenientes dos três concelhos sejam directamente direcionados para a ETAR sita em Cabanelas», dizem.

A inquietação dos autarcas dos três concelhos é agravada pelo facto de a Águas do Norte «avançar com o projeto de uma nova ETAR em Souto quando já foi construído um interceptor na ponte de Caldelas, com ligação à ETAR de Cabanelas, e numa altura em que falta apenas a ligação de Souto a Caldelas, numa extensão de cerca de seis quilómetros».

«Cabe à Águas do Norte cumprir o estipulado com os Municípios, nomeadamente ao nível dos investimentos previstos e programados, incluindo com recurso a fundos públicos, para resolver problemas de saneamento e saúde pública nos vales do Cávado e Homem», consideram.

Os autarcas já solicitaram uma reunião à empresa Águas do Norte, «no sentido de verem atendida esta pretensão ou uma alternativa que defenda os interesses das populações».

Tal como “O Amarense & Caderno de Terras de Bouro” então noticiou, a construção de uma ETAR em Souto dominou  a última reunião do executivo municipal de Terras de Bouro, com todos os elementos a manifestarem-se contra a criação dessa infra-estrutura.