AUTÁRQUICAS -
Candidato do PAN desafia Braga à pratica desportiva e quer nova ala de cirurgia em ambulatório 

O candidato do PAN à Câmara Municipal de Braga, Rafael Pinto, desafiou a população para atividades desportivas e encontrou-se com a direcção do hospital onde defendeu a construção de uma nova ala de cirurgia em ambulatório “nos próximos anos”.

Na deslocação ao Parque Desportivo da Rodovia, o candidato competiu contra os que se encontrava no local em exercícios como corrida, flexões, elevações na barra e ainda no tradicional jogo da corda, no que considerou uma acção de campanha “inédita”, os cidadãos que passaram no local competiram contra Rafael Pinto em exercícios como corrida, flexões, elevações na barra e ainda no tradicional jogo da corda. Já no período de pré-campanha tinha participado num treino de andebol do Manabola.

O objectivo, explicou Rafael Pinto, foi o de “incentivar as pessoas à prática de exercício físico e promover a saúde”.

PUBLICIDADE

“Sabemos que a maioria das doenças que afectam a nossa sociedade, como diabetes, doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro, são preveníveis com um estilo de vida saudável”, afirmou, acrescentando que “é com a prevenção que conseguimos resolver os problemas do sistema nacional de saúde”.

O Pessoas Animais Natureza considerou a iniciativa “um sucesso a repetir”, uma vez que “a recepção do público foi muito boa. Não estamos habituados a conhecer o lado mais pessoal e descontraído dos políticos, o que também afasta as pessoas”.

Em relação às expectativas para as eleições de domingo, o candidato afirma que a campanha “tem sido uma maratona porque não aparecemos só para as eleições”.

“Já estamos a trabalhar há dois anos, período em que fizemos cerca de 140 questões ao município. Agora estamos na parte do sprint final e acreditamos que todos os esforços vão ser recompensados”, disse.

CIRURGIA AMBULATÓRIA

No encontro no Hospital, o candidato alertou para a necessidade de dar “seguimento ao processo de construção de uma nova ala de cirurgia em ambulatório nos próximos anos”.

Na reunião. teve como objectivos acompanhar o processo de gestão da pandemia, a necessidade de meios humanos e físicos e ainda debater a prevenção de doenças e promoção da saúde, Rafael Pinto, que já havia reunido com o ACES – Agrupamento de Centros de Saúde, referiu que “a contratação de centenas de trabalhadores para fazer face à pandemia foi uma necessidade de urgência”.

“Sabemos que no fim da Covid é preciso acautelar estes profissionais, que na verdade são necessários no nosso sistema de saúde”, afirmou.